Morashá

COMUNIDADES DA DIÁSPORA


Vida Judaica no Uzbequistão

Vida Judaica no Uzbequistão

Remonta à Antiguidade a presença de judeus na região do atual Uzbequistão. Durante séculos, a população judaica local era composta apenas por judeus mizrachim1 mais especificamente, a comunidade judaica de Bukhara. Mas, a partir do final do século 19, judeus do Leste europeu, ashquenazim, passaram a se instalar na região formando mais uma comunidade local. Hoje, a maioria dos judeus que ainda vivem no Uzbequistão seguem o rito ashquenazita, tendo os judeus de Bukhara emigrado maciçamente.

Edição 109 - Dezembro de 2020

Os judeus de Thessaloniki

Os judeus de Thessaloniki

A importante história dos judeus de Thessaloniki, até o extermínio praticamente total da comunidade judaica durante o Holocausto, é pouco conhecida em nosso meio, e merece ser contada mais uma vez.

Edição 108 - Setembro de 2020

Judeus da Alemanha: da  República ao Terceiro Reich

Judeus da Alemanha: da República ao Terceiro Reich

Nas primeiras décadas do século 20, os judeus alemães eram os mais cultos, ricos e poderosos dentre seus irmãos de outras nacionalidades, exercendo profunda influência no mundo judaico. Em Berlim, eles atingiram seu ponto mais alto. Mas, no início da década de 1930, desabou sobre sua tranquilidade e prosperidade uma sombra que aumentava assustadoramente. O ano de 1933 é o divisor de águas em sua história, o início da guerra que Hitler declarou contra os judeus.

Edição 107 - Abril de 2020

Sinagoga no Egito recupera seu esplendor

Sinagoga no Egito recupera seu esplendor

Na cidade de Alexandria, nos dias 14 a 16 de janeiro deste ano de 2020, mais de 180 judeus de origem egípcia participaram de momentos emocionantes celebrando o Shabat na recém-restaurada Sinagoga Eliyahu Hanavi.

Edição 107 - Abril de 2020

A comunidade judaica de Arlon

A comunidade judaica de Arlon

Após ser liquidada em 1943, a comunidade judaica de Arlon renasce com a restauração da mais antiga sinagoga da Bélgica.

Edição 107 - Abril de 2020

O papel dos judeus de Argel na ocupação francesa

O papel dos judeus de Argel na ocupação francesa

A conquista da Argélia pela França, em 1830, uma ocupação que marcou o início do Segundo Império Colonial Francês1, ocorreu devido a múltiplos fatores, entre eles a supressão da pirataria e rivalidades comerciais. Mas o cerne da decisão de invadir o país foi um escândalo econômico, centrado em uma enorme dívida contraída pela França imperial contra uma casa comercial pertencente a duas das famílias judaicas mais poderosas nos países islâmicos, à época – Bakri e Busnach.

Edição 106 - Dezembro de 2019