Morashá

CARTA AO LEITOR:
ANO IX N.34 SETEMBRO 2001

Há um ano a paz no Oriente Médio parecia muito próxima. Israel, há sete anos tem buscado a paz. Por sete anos tem tentado um convívio com seus vizinhos. Sua mensagem a estes sempre foi: “Vivamos juntos, em paz!”

Entretanto, após longos anos de concessões e negociações que, lamentavelmente, não deixaram o papel, a violência voltou a explodir e a vida na região está impossível para todas as partes. E o mundo parece ter esquecido que Israel tentou, de todas as formas, evitar o que hoje está acontecendo. Israel se engajou na luta pela paz para que crianças israelenses e palestinas pudessem crescer tranqüilamente sem serem vítima da violência.

Com a aproximação das Grandes Festas, mais uma vez somos envolvidos pelo espírito de reflexão. Recentemente, Elie Wiesel disse à mídia americana: “Precisamos saber e fazer saber que não estamos sós, que somos amigos e irmãos, que estamos com Israel. Devemos concentrar nossos esforços para dar força a Israel, porque é Israel quem nos dá a esperança”.

Com este intuito, está sendo organizado entre Rosh Hashaná e Yom Kipur em Nova York um ato público ao qual comparecerão milhares de judeus para levar sua solidariedade a Israel e, ao mesmo tempo, lembrar a Washington, às Nações Unidas e ao resto do mundo que Israel e os judeus da diáspora estão unidos, hoje e sempre.

Tanto o povo judeu como o Estado de Israel estão passando por momentos muito difíceis. Mas como disse há pouco o Rabino Jonathan Sacks: “Lembrem-se disso: Gam zé ya´avor, isto também há de passar e Israel sobreviverá. Sobreviverá porque o povo judeu tem uma determinação como nenhum outro povo. Porque durante quase dois mil anos estivemos exilados de nossa terra e porque durante todos esses anos – o mais longo exílio de uma nação, na história – nunca perdemos a esperança de que um dia voltaríamos. E voltamos. E o povo judeu sabe o que significa esperar sem perder a esperança. E assim como esperamos pela nossa terra, da mesma forma, esperaremos pela paz. Da paz, jamais desistiremos!”

Que possamos, neste ano que se inicia, ver o Oriente Médio ser abençoado com a verdadeira paz!

Shana Tová u-G’mar Chatimá Tová a todos!

LEIA A CARTA NA ÍNTEGRA...

CARTA AO LEITOR:
ANO IX N.34 SETEMBRO 2001

Há um ano a paz no Oriente Médio parecia muito próxima. Israel, há sete anos tem buscado a paz. Por sete anos tem tentado um convívio com seus vizinhos. Sua mensagem a estes sempre foi: “Vivamos juntos, em paz!”

Entretanto, após longos anos de concessões e negociações que, lamentavelmente, não deixaram o papel, a violência voltou a explodir e a vida na região está impossível para todas as partes. E o mundo parece ter esquecido que Israel tentou, de todas as formas, evitar o que hoje está acontecendo. Israel se engajou na luta pela paz para que crianças israelenses e palestinas pudessem crescer tranqüilamente sem serem vítima da violência.

Com a aproximação das Grandes Festas, mais uma vez somos envolvidos pelo espírito de reflexão. Recentemente, Elie Wiesel disse à mídia americana: “Precisamos saber e fazer saber que não estamos sós, que somos amigos e irmãos, que estamos com Israel. Devemos concentrar nossos esforços para dar força a Israel, porque é Israel quem nos dá a esperança”.

Com este intuito, está sendo organizado entre Rosh Hashaná e Yom Kipur em Nova York um ato público ao qual comparecerão milhares de judeus para levar sua solidariedade a Israel e, ao mesmo tempo, lembrar a Washington, às Nações Unidas e ao resto do mundo que Israel e os judeus da diáspora estão unidos, hoje e sempre.

Tanto o povo judeu como o Estado de Israel estão passando por momentos muito difíceis. Mas como disse há pouco o Rabino Jonathan Sacks: “Lembrem-se disso: Gam zé ya´avor, isto também há de passar e Israel sobreviverá. Sobreviverá porque o povo judeu tem uma determinação como nenhum outro povo. Porque durante quase dois mil anos estivemos exilados de nossa terra e porque durante todos esses anos – o mais longo exílio de uma nação, na história – nunca perdemos a esperança de que um dia voltaríamos. E voltamos. E o povo judeu sabe o que significa esperar sem perder a esperança. E assim como esperamos pela nossa terra, da mesma forma, esperaremos pela paz. Da paz, jamais desistiremos!”

Que possamos, neste ano que se inicia, ver o Oriente Médio ser abençoado com a verdadeira paz!

Shana Tová u-G’mar Chatimá Tová a todos!


ISRAEL HOJE

TURQUIA DESAFIA ÁRABE E RECEBE SHARON

TURQUIA DESAFIA ÁRABE E RECEBE SHARON

Em recente viagem ao exterior, o primeiro-ministro Ariel Sharon protagonizou uma cena rara nos dias de hoje, marcados pela crise que engolfa o Oriente Médio. O líder israelense concedeu, com desenvoltura, entrevista coletiva numa sala decorada por bandeiras com símbolos do islã cuidadosamente arrumadas pelos anfitriões.

Edição 34 - Setembro de 2001

COMUNIDADES DA DIÁSPORA

OS JUDEUS DE CORFU

OS JUDEUS DE CORFU

Não se sabe exatamente quando os judeus se instalaram em Corfu, uma das ilhas Jônicas gregas. Acredita-se que estavam nas ilhas Jônicas desde a era romana, conforme relato do historiador e arqueólogo hebreu Josepho.

Edição 34 - Setembro de 2001

SUCOT

A SUCÁ E SEU SIGNIFICADO

A SUCÁ E SEU SIGNIFICADO

“E falou o Eterno a Moisés: Fala aos filhos de Israel, dizendo: Aos quinze dias deste sétimo mês, será festa das cabanas (Sucot), por sete dias, ao Eterno.

Edição 34 - Setembro de 2001

ROSH HASHANÁ

UMA ORAÇÃO. O VERDADEIRO FELIZ ANO NOVO.

UMA ORAÇÃO. O VERDADEIRO FELIZ ANO NOVO.

Comparemos a maneira como o judaísmo e o mundo secular comemoram o início de um novo ano.

Edição 34 - Setembro de 2001

ROSH HASHANÁ

BENÇÃOS PARA ROSH HASHANÁ

BENÇÃOS PARA ROSH HASHANÁ

Após beber o vinho, todos os presentes lavam suas mãos e recitam a bênção que nos ordenaste lavar as mãos e fazes surgir o pão da terra.

Edição 34 - Setembro de 2001

ROSH HASHANÁ

KIDUSH NA NOITE DE ROSH HASHANÁ

KIDUSH NA NOITE DE ROSH HASHANÁ

Segurando o copo de vinho em sua mão direita,enquanto todos estão de pé, o chefe da família recita:

Edição 34 - Setembro de 2001

ROSH HASHANÁ

A CADA ANO, UM NOVO ANO!?

A CADA ANO, UM NOVO ANO!?

Estamos encerrando o ano 5761 e prontos para receber um novo ano, 5762. Todo ano, a coisa se repete. Os dias correm, os meses passam e, ano após ano, ao comer a maçã com mel, na noite de Rosh Hashaná, desejamos, uns aos outros, um ano novo, bom e doce.

Edição 34 - Setembro de 2001

YOM KIPUR

KOL NIDREI

KOL NIDREI

Na véspera de Yom Kipur, em todas as sinagogas ao redor do mundo, a Arca Sagrada é aberta e os rolos de Torá são retirados. Em seguida, o chazan e a congregação entoam o Kol Nidrei. Um prelúdio marcante que durante séculos transmite a gerações de judeus o espírito do Dia do Perdão.

Edição 34 - Setembro de 2001

YOM KIPUR

ALGUMAS LEIS RELACIONADAS COM YOM KIPUR

ALGUMAS LEIS RELACIONADAS COM YOM KIPUR

“... Aos dez dias deste sétimo mês é o dia das expiações; convocação de santidade será para vós, e afligireis suas almas (através do jejum)...” (Lev. 23).

Edição 34 - Setembro de 2001

YOM KIPUR

YOM KIPUR E SEUS COSTUMES

YOM KIPUR E SEUS COSTUMES

Entre Rosh Hashaná e Yom Kipur, segundo a tradição judaica, D’us julga o mundo. É um período marcado por profunda reflexão e arrependimento e pelo compromisso de adotar condutas e posturas que nos tornem seres humanos melhores.

Edição 34 - Setembro de 2001

BRASIL

ZUR ISRAEL

ZUR ISRAEL

Este ano de 2001 será de grande importância para a comunidade judaica das Américas quando do resgate, no próximo mês de setembro, da sinagoga Kahal Kadosh Zur Israel, do Recife, a primeira em funcionamento em terras do Novo Mundo.

Edição 34 - Setembro de 2001

LEIS, COSTUMES E TRADIÇÕES

ALMAS GÊMEAS: UMA VIDA A DOIS

ALMAS GÊMEAS: UMA VIDA A DOIS

Alguém já teve a oportunidade de ouvir uma conversa entre jovens a respeito de casamento e da formação de um lar? Não? Claro que não, pois atualmente poucos se atrevem a falar sobre tais assuntos.

Edição 34 - Setembro de 2001

CRÔNICAS E CONTOS

MAIS LONGE DO QUE O PARAÍSO

MAIS LONGE DO QUE O PARAÍSO

Toda sexta-feira, durante o mês de Elul, o rabino de Nemirov desaparecia. Ninguém conhecia o seu destino. Onde o rabino poderia estar? No paraíso, sem dúvida, pedindo a D’us que trouxesse a paz no Ano Novo, acreditava a população da pequena cidade.

Edição 34 - Setembro de 2001

CRÔNICAS E CONTOS

AS AVENTURAS DE JONAS

AS AVENTURAS DE JONAS

Era uma vez um homem chamado Jonas. Era simples, bom, e sua melhor distração era passar horas no campo admirando as maravilhas da natureza. Gostava sobretudo de olhar para o céu azul e ver nas brancas nuvens diferentes figuras. Tudo lhe parecia belo,

Edição 34 - Setembro de 2001

HOMENS NA HISTÓRIA

FLÁVIO JOSEFO TRAIDOR OU TRAÍDO?

FLÁVIO JOSEFO TRAIDOR OU TRAÍDO?

Flávio Josefo (Flavius Josephus), em hebraico: Iossef ben Matitiahu ha-Cohen, nasceu em 37 ou 38 E.C., falecendo por volta do ano 100 E.C. Foi político, soldado e historiador.

Edição 34 - Setembro de 2001

ÉTICA

IMPACTOS DA ÉTICA JUDAICA NO SÉCULO XXI

IMPACTOS DA ÉTICA JUDAICA NO SÉCULO XXI

Vivemos em um mundo extraordinário. Os acelerados avanços tecnológicos têm multiplicado a capacidade da humanidade de produzir bens e serviços.

Edição 34 - Setembro de 2001

HISTÓRIA DE ISRAEL

RESGATE EM ENTEBE

RESGATE EM ENTEBE

fantástica missão de resgate dos reféns israelenses e de judeus de diferentes nacionalidades, em Uganda, surpreendeu o mundo e provou que até o impossível pode ser feito no combate ao terrorismo.

Edição 34 - Setembro de 2001

HISTÓRIA DE ISRAEL

YONI, UM HERÓI IDEALISTA

YONI, UM HERÓI IDEALISTA

Vinte e cinco anos após sua morte à frente da força-tarefa que resgatou os reféns em Entebe, Yonatan Netanyahu ainda é considerado um herói em Israel.

Edição 34 - Setembro de 2001

JUDAISMO NO MUNDO

JEWISH BRAILLE

JEWISH BRAILLE

O Jewish Braille Institute foi criado em 1931, em Nova York. Desde então, vem atuando na publicação de material ligado à temática judaica em Braille, além de oferecer uma série de outros serviços gratuitos.

Edição 34 - Setembro de 2001

CIÊNCIAS

MEDICINA E FÉ

MEDICINA E FÉ

Indicam as pesquisas que há uma conexão direta entre o sistema imunológico e o cérebro. Em Israel, muitos pacientes e seus familiares, independentemente de seu grau de religiosidade, estão procurando o auxílio de rabinos.

Edição 34 - Setembro de 2001

PROFETAS E SÁBIOS

RABI ABOAB DA FONSECA

RABI ABOAB DA FONSECA

Quando Pernambuco e outras capitanias do Norte estiveram sob o domínio da Holanda, período compreendido entre 1630 e 1654, milhares de judeus sefaradim e alguns ashquenazim, originários da Península Ibérica e do Norte da Europa, para lá se transferiram com as suas famílias.

Edição 34 - Setembro de 2001

PROFETAS E SÁBIOS

O PROFETA ELIAHU

No final de cada Yom Kipur, nas sinagogas ao redor do mundo, sete vezes os fiéis repetem “O Eterno é D’us!” (Hashem Hu Haelokim). São as mesmas palavras usadas no Monte Carmel por Israel, após ter testemunhado o profeta Elias trazer fogo do céu para derrotar os sacerdotes da idolatria.

Edição 34 - Setembro de 2001