Morashá

CARTA AO LEITOR:
ANO VIII N.28 ABRIL 2000

A noite do Seder é o aniversário de nossa libertação e o nascimento de nossa nação, pois está escrito no Talmud Pessachim: "Nesta noite temos o dever de nos sentir como se nós mesmo tivéssemos saído do Egito.

Através do ritual do Seder, transmitimos aos nossos filhos a conscientização de sua importância no mundo. Nesta noite damos-lhes um presente, uma identidade. Uma identidade ancorada na memória do passado. A criança e o jovem passam a entender que seu papel como judeus tem um significado e um propósito. Deles depende a continuidade de seu povo. Na visão judaica, a memória individual não está só. A identidade de judeu é formada da simbiose de sua história pessoal com a história de seu povo. E o tempo é algo com o qual nosso povo se identifica. Em Pessach transportamos para o presente a lembrança do passado e , desta forma, construímos a base de nosso futuro.

Pois a memória, como escreve Gabriel Marcel, é a essência da esperança: "Esperança é a memória de do futuro". Somos fruto da somatória das memórias do passado com as esperanças do futuro. As lembranças dão à nossa vida um caráter singular. Ambos, passado e futuro, vivem no presente e são núcleo de nossa identidade.

Elie Wiesel, em seu discurso ao receber o Prêmio Nobel, tentou capturar a essência do que os nazistas disseram aos judeus: "Esqueçam, disseram-nos. Esqueçam de onde vieram; esqueçam quem vocês são. Somente o presente conta". Os nazistas não queriam apenas matar os judeus, mas também destruir sua identidade. E seu método consistia na destruição de nossa memória.

Não devemos, portanto, surprender-nos com as atitudes contemporâneas, o neonazismo e o revisionismo ou negação do Holocausto. Tentar mudar a história é destruir a memória, é assassinato, mais uma vez. Não deixaremos isso ocorrer.

Para que possamos ser seres humanos estáveis num mundo tão conturbado, no qual os valores são tão questionados, precisamos ancorar-nos em nossa identidade, fundamentada em valores reais.

Cabe-nos garantir nossa continuidade, através do resgate de nossas raízes e da prática de nossas tradições.

A equipe de Morashá agradece a todos aqueles que nos têm apoiado nesta importante missão de resgatar e manter vivas as nossas tradições.


Chag Sameach !

LEIA A CARTA NA ÍNTEGRA...

CARTA AO LEITOR:
ANO VIII N.28 ABRIL 2000

A noite do Seder é o aniversário de nossa libertação e o nascimento de nossa nação, pois está escrito no Talmud Pessachim: "Nesta noite temos o dever de nos sentir como se nós mesmo tivéssemos saído do Egito.

Através do ritual do Seder, transmitimos aos nossos filhos a conscientização de sua importância no mundo. Nesta noite damos-lhes um presente, uma identidade. Uma identidade ancorada na memória do passado. A criança e o jovem passam a entender que seu papel como judeus tem um significado e um propósito. Deles depende a continuidade de seu povo. Na visão judaica, a memória individual não está só. A identidade de judeu é formada da simbiose de sua história pessoal com a história de seu povo. E o tempo é algo com o qual nosso povo se identifica. Em Pessach transportamos para o presente a lembrança do passado e , desta forma, construímos a base de nosso futuro.

Pois a memória, como escreve Gabriel Marcel, é a essência da esperança: "Esperança é a memória de do futuro". Somos fruto da somatória das memórias do passado com as esperanças do futuro. As lembranças dão à nossa vida um caráter singular. Ambos, passado e futuro, vivem no presente e são núcleo de nossa identidade.

Elie Wiesel, em seu discurso ao receber o Prêmio Nobel, tentou capturar a essência do que os nazistas disseram aos judeus: "Esqueçam, disseram-nos. Esqueçam de onde vieram; esqueçam quem vocês são. Somente o presente conta". Os nazistas não queriam apenas matar os judeus, mas também destruir sua identidade. E seu método consistia na destruição de nossa memória.

Não devemos, portanto, surprender-nos com as atitudes contemporâneas, o neonazismo e o revisionismo ou negação do Holocausto. Tentar mudar a história é destruir a memória, é assassinato, mais uma vez. Não deixaremos isso ocorrer.

Para que possamos ser seres humanos estáveis num mundo tão conturbado, no qual os valores são tão questionados, precisamos ancorar-nos em nossa identidade, fundamentada em valores reais.

Cabe-nos garantir nossa continuidade, através do resgate de nossas raízes e da prática de nossas tradições.

A equipe de Morashá agradece a todos aqueles que nos têm apoiado nesta importante missão de resgatar e manter vivas as nossas tradições.


Chag Sameach !


ISRAEL HOJE

NOVA LIDERANÇA DO SHAS

NOVA LIDERANÇA DO SHAS

Aos 38 anos, Eli Yishai vê sua atuação crescer cada vez mais no partido e conta com um aliado especial em sua trajetória: o líder espiritual Ovadia Yossef. À frente da pasta do Trabalho e Bem-Estar Social do governo de Ehud Barak, é o segundo mais novo ministro da história de Israel.

Edição 28 - Abril de 2000

ISRAEL HOJE

A VISITA DO PAPA JOÃO PAULO II A ISRAEL

A VISITA DO PAPA JOÃO PAULO II A ISRAEL

Um Pontífice, líder supremo da Igreja Católica, vir a público – em Israel – para expressar sua contrição pelas ações cometidas durante séculos contra o povo judeu, pela própria Igreja que representa, era algo inimaginável até pouco tempo atrás.

Edição 28 - Abril de 2000

COMUNIDADES DA DIÁSPORA

OS JUDEUS DE ROMA

OS JUDEUS DE ROMA

Atualmente, vivem em Roma cerca de 15 mil judeus. Nem todos descendem dos que viviam na antiga Roma. Houve outras correntes migratórias, como a dos judeus da Líbia, que, expulsos pelo coronel Kadafi e, por serem de origem italiana, estabeleceram-se n

Edição 28 - Abril de 2000

COMUNIDADES DA DIÁSPORA

O MISTÉRIO DOS KHAZARES

O MISTÉRIO DOS KHAZARES

Um dos grandes reinos do século VIII ao X da era comum, o Império Judaico do Khazar sucumbiu diante da força das tropas russas, levando consigo a sua história e a sua cultura.

Edição 28 - Abril de 2000

COMUNIDADES DA DIÁSPORA

OS MARRANOS DO ORIENTE

OS MARRANOS DO ORIENTE

O termo marrano aplica-se aos judeus espanhóis e portugueses que tiveram de se converter ao catolicismo, forçados pela Inquisição. Na opinião do historiador Reuven Kashani, pode-se também utilizá-lo para os membros da comunidade judaica que vivia na

Edição 28 - Abril de 2000

BRASIL

Comunidades Judaicas no Brasil Colonial

Comunidades Judaicas no Brasil Colonial

A atuação do Santo Ofício ao longo de 242 anos (1579-1821) oferece o mapa das comunidades judaicas no Brasil colonial.

Edição 28 - Abril de 2000

BRASIL

ESCAVAÇÕES CONFIRMAM PRESENÇA JUDAICA EM RECIFE

ESCAVAÇÕES CONFIRMAM PRESENÇA JUDAICA EM RECIFE

A descoberta, em janeiro último, de uma mikvê em meio às escavações de uma antiga sinagoga em Recife, datada do século XVII, é mais uma prova da forte presença judaica na cidade, à época. Com o objetivo de eternizar um dos capítulos mais fascinantes

Edição 28 - Abril de 2000

HISTÓRIA JUDAICA MODERNA

OS MARRANOS DO ORIENTE

OS MARRANOS DO ORIENTE

O termo marrano aplica-se aos judeus espanhóis e portugueses que tiveram de se converter ao catolicismo, forçados pela Inquisição. Na opinião do historiador Reuven Kashani, pode-se também utilizá-lo para os membros da comunidade judaica que vivia na

Edição 28 - Abril de 2000

LEIS, COSTUMES E TRADIÇÕES

SOFRUT, A DIFÍCIL ARTE DE ESCRITA NOS TEXTOS SAGRADOS

SOFRUT, A DIFÍCIL ARTE DE ESCRITA NOS TEXTOS SAGRADOS

Uma narrativa do Talmud, no tratado Eruvin-13, sobre uma conversa entre Rabi Meir e Rabi Yishmael revela a importância que os sábios judeus davam a um sofer, o escriba dos pergaminhos sagrados.

Edição 28 - Abril de 2000

LEIS, COSTUMES E TRADIÇÕES

O ETERNO D-US DE ISRAEL

O ETERNO D-US DE ISRAEL

O princípio fundamental da religião judaica é a existência absoluta de D-s. O judaísmo revela que D-s é um Ser pleno de propósitos, criador de um mundo no qual o homem tem uma razão de ser.

Edição 28 - Abril de 2000

MISTICISMO

O RESSURGIMENTO DO MISTICISMO

O RESSURGIMENTO DO MISTICISMO

Até pouco tempo atrás parecia que o racionalismo e a modernidade haviam enterrado para sempre o misticismo judaico. Até a geração passada, era visto como uma doutrina esotérica, um tema reservado à elite espiritual e intelectual, apenas nos círculos chassídicos e sefarditas havia sábios ou estudiosos da Cabalá.

Edição 28 - Abril de 2000

CRÔNICAS E CONTOS

O CAJADO DE MOISÉS

O CAJADO DE MOISÉS

Vários anos haviam se passado desde o dia em que Bátia, a filha do Faraó, salvara do rio Nilo o pequeno Moisés. A criança tornara-se um belo rapaz, culto, um príncipe do Egito amado pelo próprio Faraó. Apesar do luxo e conforto no qual vivia, o jovem ...

Edição 28 - Abril de 2000

BIOGRAFIAS

ALBERT EINSTEIN

ALBERT EINSTEIN

Autor da Lei da Relatividade e Prêmio Nobel de Física de 1922, Albert Einstein foi eleito Personalidade do Século XX pela revista Time.

Edição 28 - Abril de 2000

BIOGRAFIAS

EM MEMÓRIA DE EDMOND SAFRA

EM MEMÓRIA DE EDMOND SAFRA

A trágica morte de Edmond Safra, na véspera de Chanucá de 5760, abalou o mundo inteiro, deixando em estado de choque os judeus de todos os países e de todos os continentes. Muitos conheciam pessoalmente o magnata da área bancária internacional do século XX, outros tinham escutado falar do gênio financeiro, outros só ficaram sabendo que era o judeu mais rico do mundo e o maior filantropo deste século no momento de sua morte. Mas, quem foi verdadeiramente Edmond Safra?

Edição 28 - Abril de 2000

SABEDORIA JUDAICA

RABINO DAVID WEITMAN RESPONDE

RABINO DAVID WEITMAN RESPONDE

O Bar mitzvá não é apenas uma festa; aos treze anos o menino tem a obrigação de cumprir as mitzvot.

Edição 28 - Abril de 2000

CIÊNCIAS

OS PASSOS DE NOSSOS ANTEPASSADOS

OS PASSOS DE NOSSOS ANTEPASSADOS

O advento da Internet vem tornando possível a um número cada vez maior de judeus encontrar a origem de suas famílias ou mesmo localizar parentes distantes através da Web.

Edição 28 - Abril de 2000

PROFETAS E SÁBIOS

NACHMÂNIDES

NACHMÂNIDES

No século XIII, surgiu no firmamento judaico da Espanha uma nova estrela que brilhou com poderosa luz. Um dos principais autores da literatura talmúdica da Idade Média, cabalista, filósofo e escritor renomado. Mais conhecido por seus comentários místicos do Pentateuco, destacou-se no campo da lei rabínica além de ser um poeta litúrgico de grande expressão.

Edição 28 - Abril de 2000

OMER

CONTAGEM DO OMER

CONTAGEM DO OMER

"A partir do dia após o Shabat, no qual vocês trazem o feixe de trigo para oferenda, vocês deverão contar até completar sete semanas: vocês deverão contar 50 dias até o dia do término da sétima semana, quando deverão, então, trazer uma nova oferenda

Edição 28 - Abril de 2000

OMER

CONTAGEM DO OMER

CONTAGEM DO OMER

'A partir do dia após o Shabat, no qual vocês trazem o feixe de trigo para oferenda, vocês deverão contar até completar sete semanas: vocês deverão contar 50 dias até o dia do término da sétima semana, quando deverão, então, trazer uma nova oferenda de grãos para o Senhor...'. (Levítico 23:15-21)

Edição 28 - Abril de 2000

OMER

HILULÁ DE RABI SHIMON

HILULÁ DE RABI SHIMON

Uma verdadeira festa de regozijo judaico. No seu solo, sem o entrave da discriminação, livres, os filhos de Israel podem vozear à vontade. Discutem, gesticulam, falam com euforia.

Edição 28 - Abril de 2000

PÊSSACH

CELEBRANDO PESSACH, SEGUNDO OS COSTUMES SEFARADITAS

CELEBRANDO PESSACH, SEGUNDO OS COSTUMES SEFARADITAS

Comer matzá até um dia antes do Seder e consumir arroz seguindo os ensinamentos de Joseph Caro, no Shulchan Aruch, são alguns dos costumes adotados pelos judeus sírios.

Edição 28 - Abril de 2000


OS VENDEDORES DE MENTIRAS E OS HOLOFOTES

OS VENDEDORES DE MENTIRAS E OS HOLOFOTES

Há pseudo-intelectuais que chafurdam ininterruptamente em busca dos holofotes da fama. Montam, em sua paranóica corrida por reconhecimento e evidência, teorias estapafúrdias, vendidas com um lustre artificial de cientificismo.

Edição 28 - Abril de 2000