Morashá

Curiosidades


O Talmud ensina que os dois dias mais felizes para o povo judeu são Yom Kipur (quando nossos pecados são perdoados por D’us) e o dia 15 de Av. Por que o dia 15 de Av é considerado uma data tão alegre? Nos conta o Talmud que nesta data “as filhas de Jerusalém” dançavam nos vinhedos “e todo aquele que não tivesse uma esposa ia até lá para encontrar uma noiva” (Talmud, Taanit 31a).


Dia 13 de Av, é o aniversário de falecimento de Sir Moses Montefiore. Este famoso filantropo judeu faleceu aos 101 anos de idade (1784-1885). O Morasha.com contém um artigo sobre sua esposa, Lady Montefiore: Judith Cohen Montefiore.


Os primeiros judeus na América do Norte eram sefaradim. No ano de 1700, havia apenas 300 judeus nos Estados Unidos. A partir do século 18, judeus alemães passaram a imigrar para os Estados Unidos e, apesar de serem ashkenazim, eles se afiliaram às sinagogas sefaraditas.


O Lago Kineret é o único lago de água doce em Israel. Localiza-se na Galiléia Oriental e tem o formato de uma harpa. A palavra hebraica para harpa é kinor; daí o nome do lago. Algumas fontes laicas se referem ao lago como o “Mar da Galileia”.


Em Tishá B’Av (o nono dia do mês hebraico de Menachem Av), não se costuma estudar a Torá, além de textos e histórias sobre este dia, o mais triste na história judaica. Também recitamos “Eicha” – o Livro das Lamentações – após as rezas da noite e da manhã.


Durante a Inquisição, os judeus foram expulsos da Espanha em Tisha B’Av – dia 9 do mês hebraico de Menachem Av, no ano de 5252 (1492).


Dia 5 de Menachem Av, é o aniversário de falecimento do Arizal, Rabi Isaac Luria, um grande mestre da Cabalá. O Arizal nasceu em Jerusalém, em 1534. Em 1570, ele se estabeleceu em Sefad, onde morou por dois anos, até falecer aos 38 anos de idade, em 1572. Durante este período, Rabi Isaac Luria revolucionou e transmitiu para seus alunos o estudo da Cabalá. Foi o Arizal que proclamou que “Nestes tempos, temos o dever de revelar a sabedoria da Cabalá”.


Em Tishá B’Av, é proibido comer e beber, se levar ou usar óleos e cremes, usar sapatos de couro e ter relações sexuais. Neste dia mais triste da história judaica, não fazemos nada que nos traga alegria. Portanto, não se estuda a Torá, com exceção de textos sobre a destruição do Templo Sagrado de Jerusalém e sobre a história e significado de Tishá B’Av.