Morashá

Curiosidades


No dia 25 de Tevêt, no ano de 1559, foi publicada a obra de ética judaica, Chovot Halevavot (Os Deveres do Coração), de Rabi Bachya ben Yosef ibn Paquda. O livro, originalmente escrito em árabe, havia sido traduzido para o hebraico no ano de 1167 por Rabi R. Judah idn Tibbon.


Devido ao antissemitismo prevalente nas melhores universidades dos Estados Unidos, Abram Sachar, em 1948, fundou a Brandeis University. Brandeis foi fundada com o propósito de ser uma faculdade laica para alunos judeus. A universidade foi nomeada em homenagem a Louis Brandeis, o primeiro judeu a se tornar um juiz na Suprema Corte norte-americana.


Dia 20 de Tevêt, é o aniversário de falecimento de Rabi Moshe ben Maimon, “Maimonides”, conhecido pelo acrônimo “Rambam”. Maimonides é uma das personalidades mais reverenciadas no judaísmo. Ele foi um dos maiores Sábios de nossa história e escreveu muitas obras, entre elas, uma enciclopédia de Lei Judaica baseada no Talmud, chamada de Mishné Torá. O Rambam foi também um grande médico e é considerado o maior filósofo judeu de todos os tempos. Ele faleceu no Egito, no ano de 1204.


Dia 19 de Tevêt é o aniversário de falecimento de um grande filantropo norte-americano, Yehudá Touro (1775-1854). Sua filantropia não se limitava ao povo judeu ou a causas judaicas. Ele doou dinheiro para o hospital Massachusetts General, que seu irmão ajudou a fundar. A Enciclopédia Judaica escreve sobre Touro que “nenhum judeu deu tanto para tantas agências e causas”.


Dia 17 de Tevêt, no ano de 1728, um grupo de judeus espanhóis e portugueses, que foram expulsos de seus países pela Inquisição, comprou um terreno em Manhattan, Nova Iorque, para erguer a primeira sinagoga da cidade.


O Rabi Eliyahu de Vilna, conhecido como o Gaon (Gênio) de Vilna, evitava dormir, pois quanto mais tempo dormisse, menos tempo teria para estudar a Torá. Quantas horas de sono ele se permitia por noite? Apenas duas!


Emma Lazarus, filha de um judeu alemão, escreveu o poema que está inscrito na Estátua da Liberdade. Ela trabalhava para ajudar imigrantes em Nova Iorque e escrevia artigos defendendo a vinda de imigrantes judeus da Rússia para os Estados Unidos. Ela os chamava de “pioneiros do progresso”.


No dia 10 de Tevet do ano judaico de 3336 (425 AEC), os exércitos babilônicos do imperador Nabucodonosor sitiaram Jerusalém; trinta meses mais tarde, no dia 9 de Tamuz do ano 3338, as muralhas da cidade foram rompidas. Um mês depois, no dia 9 de Menachem Av (considerado o dia mais triste do calendário judaico), o Primeiro Templo Sagrado de Jerusalém foi destruído. O povo judeu foi exilado para a Babilônia, onde permaneceu em exílio durante 70 anos.