Morashá

Curiosidades


Nestes dias que antecedem Rosh Hashaná, recitamos Selichot (preces de súplica) antes das rezas matinais na sinagoga. Na tradição ashkenazita, a recitação de Selichot inicia-se no sábado (depois da meia-noite) que antecede Rosh Hashaná. Já na tradição sefaradita, começa-se a recitar Selichot a partir do primeiro dia do mês de Elul. Na oração de Selichot, pedimos perdão a D’us pelos pecados cometidos contra Ele durante o ano.


Durante os anos de 1840-1880, a população judaica nos Estados Unidos cresceu de 14.000 para 200.000 habitantes. A maioria desses imigrantes judeus originou de países onde se falava alemão; muitos deles haviam sido líderes de revoltas fracassadas na Europa. Esses imigrantes judeus se estabeleceram em diferentes cidades dos Estados Unidos, formando grandes comunidades em Nova Iorque, Cleveland, New Orleans, Albany e Buffalo.


Neste mês de Elul, o último do calendário judaico, todo judeu deve examinar seus atos e tomar medidas para se auto-aperfeiçoar. Um ensinamento chassídico revela que os últimos 12 dias do ano – 18 a 29 de Elul – correspondem aos 12 meses do ano que passaram. Em cada um desses dias, deve-se tentar corrigir os erros cometidos nos meses correspondentes.


O Talmud ensina que há quatro inícios de ano no calendário judaico: Rosh Hashaná (dia primeiro de Tishrei), dia primeiro de Nissan, dia primeiro de Elul e dia 15 de Shevat, Tu b’Shevat.


O mês de Elul tem um grande significado histórico para o povo judeu. No primeiro dia de Elul, Moisés subiu o Monte Sinai para receber as tábuas dos Dez Mandamentos pela segunda vez. (Moisés havia quebrado as primeiras tábuas quando presenciou o pecado do bezerro de ouro.) Quarenta dias mais tarde, no dia de Yom Kipur, o Dia do Perdão, Moisés retornou ao povo, com as tábuas nas mãos, indicando que D’us havia perdoado os judeus pelo erro cometido.


É um costume ashkenazi tocar o shofar durante todo o mês de Elul, logo após a reza da manhã na sinagoga. O toque do shofar durante Elul visa despertar os judeus espiritualmente e prepará-los para Rosh Hashaná, o Dia do Julgamento.


Inicialmente, o centro da comunidade judaica na Europa era a Alemanha, cujo nome na língua hebraica é “Ashkenaz”. Portanto, mesmo após os judeus terem sido espalhados pela Europa Oriental, eles continuaram a serem chamados de Ashkenazim.


Rabi Akiva, o maior sábio do Talmud, só começou a estudar a Torá aos 40 anos de idade. Ele cresceu como um pastor ignorante e analfabeto. Rabi Akiva começou a estudar Torá para poder se casar com Raquel, filha de Kalba Savua. Posteriormente, Rabi Akiva se tornou o maior rabino da história judaica.