Morashá

CARTA AO LEITOR:
ANO XVIII N.69 SETEMBRO 2010

Em Rosh Hashaná, celebramos o aniversário coletivo da humanidade, a criação de Adam, o primeiro ser humano que existiu. O homem foi o propósito e ápice de toda a Criação. Contudo, diferentemente de todas as outras criaturas, foi criado como uma única entidade: D’us criou apenas um só homem, e foi dele que se originaram os demais seres humanos.

O motivo pelo qual D’us criou apenas um ser humano foi para nos ensinar que toda vida humana é preciosa aos Seus olhos, pois todas as pessoas, sem exceção, são filhos de um único homem, que foi criado "à imagem" de D’us.

A vida é o grande tema das Festas que se iniciam em Rosh Hashaná e culminam no dia mais sagrado do calendário judaico, Yom Kipur. Nesse período fazemos um balanço de nossa vida no ano que passou, de nossos acertos e falhas, e procuramos traçar novas metas e comprometimentos, para, finalmente, pedir a D’us que Ele nos inscreva e nos confirme no Livro da Vida.

Às vésperas deste novo ano judaico, a revista Morashá também comemorará mais um ano de vida. São 18 anos de ininterrupta presença ao lado de nossos leitores. Segundo a Cabalá, a correlação entre números e letras hebraicas tem grande significado e toda letra no alfabeto tem um valor numérico. O número 18 corresponde a "Chai", em hebraico, "vida".

Na tradição judaica o aniversário de nascimento tem vários significados e grande relevância, chegando, em algumas instâncias, a ser comparável a um pequeno Rosh Hashaná. Segundo o Talmud, na data judaica de nosso aniversário, nossa sorte, nosso mazal, tem total predominância, sendo, portanto, o dia perfeito para uma reflexão sobre nossas metas e determinações.

Assim sendo, por ocasião do nosso 18º ano, um número tão importante para o judaísmo, o ano de "Chai", renovamos nosso compromisso com nossos leitores de continuar disseminando o judaísmo em suas muitas múltiplas facetas: religiosa, nacional, histórica e cultural.

Nosso desejo neste Rosh Hashaná 5771é que sejamos todos inscritos e selados no Livro da Vida. Que este ano seja um ano de paz e felicidade para todos os seres humanos.

Shana Tová Umetucá!

LEIA A CARTA NA ÍNTEGRA...

CARTA AO LEITOR:
ANO XVIII N.69 SETEMBRO 2010

Em Rosh Hashaná, celebramos o aniversário coletivo da humanidade, a criação de Adam, o primeiro ser humano que existiu. O homem foi o propósito e ápice de toda a Criação. Contudo, diferentemente de todas as outras criaturas, foi criado como uma única entidade: D’us criou apenas um só homem, e foi dele que se originaram os demais seres humanos.

O motivo pelo qual D’us criou apenas um ser humano foi para nos ensinar que toda vida humana é preciosa aos Seus olhos, pois todas as pessoas, sem exceção, são filhos de um único homem, que foi criado "à imagem" de D’us.

A vida é o grande tema das Festas que se iniciam em Rosh Hashaná e culminam no dia mais sagrado do calendário judaico, Yom Kipur. Nesse período fazemos um balanço de nossa vida no ano que passou, de nossos acertos e falhas, e procuramos traçar novas metas e comprometimentos, para, finalmente, pedir a D’us que Ele nos inscreva e nos confirme no Livro da Vida.

Às vésperas deste novo ano judaico, a revista Morashá também comemorará mais um ano de vida. São 18 anos de ininterrupta presença ao lado de nossos leitores. Segundo a Cabalá, a correlação entre números e letras hebraicas tem grande significado e toda letra no alfabeto tem um valor numérico. O número 18 corresponde a "Chai", em hebraico, "vida".

Na tradição judaica o aniversário de nascimento tem vários significados e grande relevância, chegando, em algumas instâncias, a ser comparável a um pequeno Rosh Hashaná. Segundo o Talmud, na data judaica de nosso aniversário, nossa sorte, nosso mazal, tem total predominância, sendo, portanto, o dia perfeito para uma reflexão sobre nossas metas e determinações.

Assim sendo, por ocasião do nosso 18º ano, um número tão importante para o judaísmo, o ano de "Chai", renovamos nosso compromisso com nossos leitores de continuar disseminando o judaísmo em suas muitas múltiplas facetas: religiosa, nacional, histórica e cultural.

Nosso desejo neste Rosh Hashaná 5771é que sejamos todos inscritos e selados no Livro da Vida. Que este ano seja um ano de paz e felicidade para todos os seres humanos.

Shana Tová Umetucá!


ISRAEL HOJE

Solidariedade, em Israel, também se chama “Mashav”

Solidariedade, em Israel, também se chama “Mashav”

Capacitação é a palavra-chave do Mashav. “Capacitação dos capacitadores” é o fio condutor do trabalho deste órgão governamental israelense voltado à cooperação internacional

Edição 69 - Setembro de 2010

SUCOT

A Cabalá de Sucot

A Cabalá de Sucot

A festa de Sucot, celebrada durante sete dias, é primordialmente cumprida pelo atendimento a dois mandamentos: habitar em uma Sucá e sacudir as Quatro Espécies. Ambos estão relacionados com as sete Sefirot emocionais.

Edição 69 - Setembro de 2010

ROSH HASHANÁ

Suplemento para Rosh Hashaná

Suplemento para Rosh Hashaná

Rosh Hashaná: Quarta e Quinta-feira à noite: 8 e 9 de setembro 2010

Edição 69 - Setembro de 2010

YOM KIPUR

Algumas Leis relacionadas com Yom Kipur

Algumas Leis relacionadas com Yom Kipur

Neste ano, Yom Kipur se inicia no dia 17 de setembro, sexta-feira, às 17:40h, e termina na noite do dia 18 de setembro.

Edição 69 - Setembro de 2010

BRASIL

Os judeus de São Paulo

Os judeus de São Paulo

A história dos judeus em São Paulo é muito rica, já tendo inspirado uma boa quantidade de livros de história, memórias individuais e filmes.

Edição 69 - Setembro de 2010

MISTICISMO

As sete Sefirot emocionais

As sete Sefirot emocionais

O tópico das Sefirot é um dos pilares do estudo da Cabalá. As Sefirot são a forma básica do poder criativo de D-us. Constituem a estrutura e configuração internas do Universo e servem de ponte entre o Criador e toda a Sua criação.

Edição 69 - Setembro de 2010

BIOGRAFIAS

Ernst Cramer

Ernst Cramer

A democracia e o Estado de Israel perderam, com a morte de Ernst Cramer, em janeiro deste ano, um incansável paladino. Jornalista prolífico e eloqüente testemunha dos horrores do regime nazista, teve um papel decisivo na história do jornalismo na Alemanha pós-guerra e na Editora Axel Springer – o maior conglomerado de mídia da Europa.

Edição 69 - Setembro de 2010

BIOGRAFIAS

Flávio Josefo, entre Roma e Jerusalém

Flávio Josefo, entre Roma e Jerusalém

Yossef ben Matitiahu Ha-Cohen, um dos líderes da 1ª Revolta Judaica contra o Império Romano, termina seus dias em Roma, onde adota o nome de Flavius Josephus. Lá escreve a história e apologia da Nação Judaica e de si mesmo, suspeito tanto aos olhos de seus correligionários, quanto aos olhos dos romanos.

Edição 69 - Setembro de 2010

BIOGRAFIAS

O caçador de nazistas, Efraim Zuroff

O caçador de nazistas, Efraim Zuroff

Desafiado pelo relógio da história com o envelhecimento dos herdeiros do nazismo, Zuroff acelerou nos últimos anos suas ações, e, para isso, deslanchou em 2002 a Operação Última Chance, responsável por relevantes esforços e investigações em países tão distantes como Lituânia, Austrália, Chile e Hungria.

Edição 69 - Setembro de 2010

BIOGRAFIAS

O legado de Theodor Herzl

O legado de Theodor Herzl

Há 150 anos, em 2 de maio de 1860, nascia em Budapeste Theodor Herzl, o estadista judeu que não teve a felicidade de conhecer o estado que idealizou. “Se não for em cinco anos, certamente em cinqüenta, os judeus terão seu próprio estado”, vaticinou em 1897.

Edição 69 - Setembro de 2010

ARTE E CULTURA

O mestre do teatro

O mestre do teatro

O jovem Neil Simon estava na sinagoga, ao lado do pai, em um dia de Kipur, em Nova York. A certa altura, o pai indicou-lhe para acompanhar um trecho do livro de orações cujo texto era em hebraico, numa página, e em inglês, na outra. O menino disse: “Pai, eu estou acompanhando em inglês”. Ao que ele respondeu: “D-us não entende inglês”.

Edição 69 - Setembro de 2010

SABEDORIA JUDAICA

Cartas à nova geração

Cartas à nova geração

No ano passado, antes de Yom Kipur, o Grão Rabino do Reino Unido, Rabi Sir Jonathan Sacks, escreveu suas reflexões como se fossem 10 cartas de um pai a seus filhos. Para transmití-las à comunidade judaica britânica e do mundo afora, o Grão Rabino publicou-as na forma de um pequeno livro: Cartas à Nova Geração.

Edição 69 - Setembro de 2010

HISTÓRIA DE ISRAEL

Degânia Alef, mãe de todos os kibutzim

Degânia Alef, mãe de todos os kibutzim

Há cem anos, em outubro de 1910, um grupo de jovens judeus fundou uma colônia agrícola às margens do lago Kineret. Seu sonho, como o de tantos outros jovens judeus que haviam deixado o Leste europeu para se estabelecer em Eretz Israel, era fazer de sua visão do sionismo um modus vivendi. Queriam trabalhar a terra e se assentar permanentemente na Terra de Israel.

Edição 69 - Setembro de 2010

PROFETAS E SÁBIOS

Rabino Mordechai Eliahu, ZT l

Rabino Mordechai Eliahu, ZT l

Reverenciado líder espiritual, que durante 10 anos ocupou o posto de Rishon Le Zion, Rabino Chefe Sefaradi de Israel, o Rabino Mordechai Eliahu faleceu no dia 7 de junho após prolongada doença, pontuada por milagrosas recuperações.

Edição 69 - Setembro de 2010