Morashá

CARTA AO LEITOR:
ANO XV N.60 ABRIL 2008

No próximo mês de Iyar o Estado de Israel completa 60 anos. Na numerologia judaica, o número 60 equivale à letra samech, que, na Cabalá, simboliza o apoio e ajuda de D'us. De fato, o nascimento, a sobrevivência e as conquistas de Israel são um milagre divino. Como dizia David Ben Gurion, "Em Israel, para ser realista, há que se acreditar em milagres".

A história do Estado de Israel não tem precedente. É uma história extraordinária, como a do povo judeu. Das cinzas do Holocausto, ergueu-se um Estado. Depois de quase 2 mil anos de exílio e após perdermos 6 milhões de irmãos, nosso povo voltou a seu lar histórico. O hebraico, idioma sagrado, língua de nossos patriarcas e profetas, foi revivido. Um povo oprimido e vitimado conseguiu formar o exército mais bem treinado do mundo. O deserto inóspito que caracterizou a terra de Israel durante o longo exílio de seus filhos foi transformado em jardim. Apesar das guerras, constantes ameaças inimigas e inúmeros desafios, Israel absorveu milhões de imigrantes, que o fizeram crescer e prosperar. Hoje, é líder em tecnologia de ponta e a única verdadeira democracia do Oriente Médio.

Qual teria sido o fator tão preponderante que fez com que o povo judeu se mantivesse unido nos milênios de sua dispersão em terras estranhas? Certamente foi a Torá e o sonho de voltar um dia à sua terra ancestral, berço de seus antepassados.

O número 60, que marca esta data, também representa um ciclo: a interligação entre passado e futuro. De fato, o Seder de Pessach se inicia com o relato do nascimento de nosso povo e termina com uma afirmação sobre o futuro: "no próximo ano em Jerusalém". Isto indica que a culminação da história judaica ainda está por vir. Israel não é apenas um sonho de dois milênios concretizado há 60 anos, mas o anseio por um grande milagre que há de vir.

Que possamos, junto a nossos familiares, festejar o nascimento de nosso povo, após o êxodo do Egito, e o renascimento do Estado de Israel soberano, há 60 anos, em sua terra ancestral.

Desejamos a todos os leitores um Pessach casher ve-sameach.

LEIA A CARTA NA ÍNTEGRA...

CARTA AO LEITOR:
ANO XV N.60 ABRIL 2008

No próximo mês de Iyar o Estado de Israel completa 60 anos. Na numerologia judaica, o número 60 equivale à letra samech, que, na Cabalá, simboliza o apoio e ajuda de D'us. De fato, o nascimento, a sobrevivência e as conquistas de Israel são um milagre divino. Como dizia David Ben Gurion, "Em Israel, para ser realista, há que se acreditar em milagres".

A história do Estado de Israel não tem precedente. É uma história extraordinária, como a do povo judeu. Das cinzas do Holocausto, ergueu-se um Estado. Depois de quase 2 mil anos de exílio e após perdermos 6 milhões de irmãos, nosso povo voltou a seu lar histórico. O hebraico, idioma sagrado, língua de nossos patriarcas e profetas, foi revivido. Um povo oprimido e vitimado conseguiu formar o exército mais bem treinado do mundo. O deserto inóspito que caracterizou a terra de Israel durante o longo exílio de seus filhos foi transformado em jardim. Apesar das guerras, constantes ameaças inimigas e inúmeros desafios, Israel absorveu milhões de imigrantes, que o fizeram crescer e prosperar. Hoje, é líder em tecnologia de ponta e a única verdadeira democracia do Oriente Médio.

Qual teria sido o fator tão preponderante que fez com que o povo judeu se mantivesse unido nos milênios de sua dispersão em terras estranhas? Certamente foi a Torá e o sonho de voltar um dia à sua terra ancestral, berço de seus antepassados.

O número 60, que marca esta data, também representa um ciclo: a interligação entre passado e futuro. De fato, o Seder de Pessach se inicia com o relato do nascimento de nosso povo e termina com uma afirmação sobre o futuro: "no próximo ano em Jerusalém". Isto indica que a culminação da história judaica ainda está por vir. Israel não é apenas um sonho de dois milênios concretizado há 60 anos, mas o anseio por um grande milagre que há de vir.

Que possamos, junto a nossos familiares, festejar o nascimento de nosso povo, após o êxodo do Egito, e o renascimento do Estado de Israel soberano, há 60 anos, em sua terra ancestral.

Desejamos a todos os leitores um Pessach casher ve-sameach.


ANTISSEMITISMO

O Caso Damasco

O Caso Damasco

No ano de 1840, Damasco foi palco da maior cause celèbre do século 19: os judeus foram falsamente acusados de assassinato ritual. Uma calúnia medieval que parecia ter desaparecido do imaginário anti-semita ocidental, volta à cena, de modo brusco e aterrador.

Edição 60 - Abril de 2008

ANTISSEMITISMO

Levantado o véu da chacina nazista na Ucrânia

Levantado o véu da chacina nazista na Ucrânia

Percorreram em silêncio um descampado nas redondezas do vilarejo ucraniano de Rava-Ruska, até que Olga Kushta indicou um lugar ao homem de batina que a acompanhava. ‘É aqui que os judeus foram mortos a tiros, eu assisti as matanças’...

Edição 60 - Abril de 2008

ISRAEL HOJE

A magia e a mística de Tzfat

A magia e a mística de Tzfat

Tzfat, também conhecida como Safed e Safad, é considerada a capital da Alta Galiléia. Localizada ao norte do Estado de Israel, é uma das quatro cidades mais sagradas no judaísmo, juntamente com Jerusalém, Hebron e Tiberíades. É um dos principais berços da mística judaica, a Cabalá.

Edição 60 - Abril de 2008

HOLOCAUSTO

A história e a família do 'Anjo de Hamburgo'

A história e a família do 'Anjo de Hamburgo'

Aracy de Carvalho Guimarães Rosa ganhou o nome de ‘Anjo de Hamburgo’ por salvar centenas de judeus do nazismo, ignorando leis anti-semitas e conseguindo vistos que abriam caminho para refúgio no Brasil. Atos de coragem e de heroísmo se desenrolaram no consulado brasileiro da cidade alemã onde ela trabalhava no setor de passaportes e onde conheceu o diplomata e escritor João Guimarães Rosa, com quem se casou.

Edição 60 - Abril de 2008

HOLOCAUSTO

A arte de Naftali Bezem

A arte de Naftali Bezem

O Museu de Yad Vashem, fundado em 1953, convidou o artista plástico Naftali Bezem para esculpir a parede principal da instituição. qualquer pessoa familiarizada com os trabalhos de Bezem perceberá, imediatamente, que toda sua produção artística é uma preparação para a execução desta obra-prima, intitulada ’Me-Shoá lê-Tekumá’ (do Holocausto ao Renascimento).

Edição 60 - Abril de 2008

COMUNIDADES DA DIÁSPORA

Os Judeus de Damasco

Os Judeus de Damasco

Desde os tempos bíblicos, sempre houve judeus em Damasco, cidade descrita no Talmud como ‘Portão do Éden’ por seus belos pomares e vinhedos.

Edição 60 - Abril de 2008

COMUNIDADES DA DIÁSPORA

Os palácios dos judeus de Damasco

Os palácios dos judeus de Damasco

‘A maior glória de Damasco é o esplendor de suas residências’, escreveu Josias Porter, em 1855, ao se referir à extraordinária opulência e beleza das mansões da Cidade Velha. Entre as mais bonitas, imortalizadas em imagens por artistas famosos, havia várias residências de famílias judias.

Edição 60 - Abril de 2008

BRASIL

Albert Dayan z'l

Albert Dayan z'l

No mês de janeiro de 2008 a comunidade judaica de São Paulo perdeu Albert Dayan, um de seus mais destacados membros.

Edição 60 - Abril de 2008

MISTICISMO

A Unicidade de D-us

A Unicidade de D-us

‘E saberás hoje e considerarás no teu coração, que o Eterno, Ele é D-us, em cima, nos céus, e embaixo, na terra; não há nada além Dele’. (Deuteronômio, 4: 39).

Edição 60 - Abril de 2008

SABEDORIA JUDAICA

O maravilhoso fenômeno da sarça ardente

O maravilhoso fenômeno da sarça ardente

Neste artigo descrevemos uma passagem da Torá que fascina pensadores e comentaristas e motiva a uma reflexão. Através da metáfora de uma sarça ardente que não era consumida pelas chamas, o Todo Poderoso pretendia fazer ver a Moshé que sempre há um outro aspecto, ao nosso redor,que não é visto por nós.

Edição 60 - Abril de 2008

HISTÓRIA DE ISRAEL

O amigo de Harry Truman

O amigo de Harry Truman

Amigo de juventude do presidente americano Harry Truman, Eddie Jacobson foi fundamental em convencê-lo a apoiar a criação, na então Palestina, de um lar nacional judaico.

Edição 60 - Abril de 2008

HISTÓRIA DE ISRAEL

O dia do milagre

O dia do milagre

A par do extraordinário triunfo do movimento sionista, a fundação do Estado de Israel, 60 anos atrás, contém intrigantes elementos que inclusive podem ser apontados como sobrenaturais. Do ponto de vista político, jamais uma nação foi criada por votos de outros países. Sob a ótica histórica, a jornada percorrida pelo povo judeu corresponde a uma sucessão de milagres. Depois de dois mil anos de injustiças, perseguições, massacres e assassinatos em massa, este povo sobrevive forte, vibrante e, há seis décadas, soberano em sua pátria.

Edição 60 - Abril de 2008

PROFETAS E SÁBIOS

Shmuel, Mestre dos profetas

Shmuel, Mestre dos profetas

A história de Samuel se inicia com uma oração, feita por Hanna, sua mãe, implorando a D-us, do fundo de seu coração, que a abençoe com um filho. Em resposta àquela prece sincera, D-us a fez mãe de Shmuel, um profeta cuja estatura é comparada a Moshé e Aaron.

Edição 60 - Abril de 2008


O SEDER DE PESSACH

O SEDER DE PESSACH

Neste ano, o dia 14 de Nissan, véspera de Pessach, cai no pôr-do-sol do dia 19 de abril, um sábado. Isto significa que o primeiro Seder vai ser realizado imediatamente após o término do Shabat e, por este motivo, há algumas modificações nos preparativos.

Edição 60 - Abril de 2008