Morashá

ARTE E CULTURA


A DINASTIA DO NEW YORK TIMES

A DINASTIA DO NEW YORK TIMES

Os Ochs e os Sulzberger formam o clã mais poderoso do século XX, nos Estados Unidos. Além de deter o controle do The New York Times há mais de cem anos, sempre atuaram na mídia impressa, garantindo com isso uma posição de enorme influência que tem sido transmitida através de quatro gerações, como se fosse um direito hereditário".

Edição 39 - Dezembro de 2002

TRADIÇÕES MÁGICAS DOS JUDEUS OTOMANOS

TRADIÇÕES MÁGICAS DOS JUDEUS OTOMANOS

O artigo mostra alguns hábitos e superstições dos judeus otomanos. Estas crenças fazem parte de uma “tradição mágica” comum às comunidades judaicas do Império Otomano. Este estudo não reflete todos os aspectos destas crenças e muitas estão fadadas ao desaparecimento.

Edição 37 - Junho de 2002

O TEATRO ÍDICHE

O TEATRO ÍDICHE

Trazido para a América por imigrantes da Alemanha e da Europa Oriental, o teatro ídiche brilhou durante anos nos palcos de Nova York, ajudando os judeus a manter viva a lembrança de sua terra natal. Não conseguiu, no entanto, sobreviver à destruição dos judeus pelos nazistas, nem à assimilação no Novo Mundo.

Edição 32 - Abril de 2001

MARC CHAGALL

MARC CHAGALL

Com uma autobiografia íntima e sonhadora, sua arte conta histórias mágicas que exaltam a eterna floração do amor. O herói moderno que cantou a lua, a alma, a união dos amorosos, o casamento, os seres voadores, os sonhos, as lendas e os mitos do homem... Chagall é esta presença luminosa no céu da nossa época. Imigrante, judeu, poeta, pintor, homem amoroso.

Edição 32 - Abril de 2001

VIDA E DESTINO DAS LÍNGUAS JUDAICAS

VIDA E DESTINO DAS LÍNGUAS JUDAICAS

O ídiche, assim como o ladino ou judeu-árabe, línguas judaicas com rico passado, ao despontar um novo milênio provocam em nós a pergunta: conseguirão escapar do esquecimento? Antes de responder, vale a pena lembrar seu destino ao longo do século XX.

Edição 29 - Junho de 2000

MUSEUS JUDAICOS, UM MERGULHO NA HISTÓRIA

MUSEUS JUDAICOS, UM MERGULHO NA HISTÓRIA

Um povo sem história é um povo sem memória e, talvez, não haja melhor lugar para se conhecer os diferentes aspectos da história dos povos do que em um museu.

Edição 26 - Dezembro de 1999