Morashá

Curiosidades


No casamento judaico o rosto da noiva é coberto por um véu. Este costume vem desde o período dos patriarcas. Em Gênesis é contado que quando Rebeca viu pela primeira vez Isaac, ela se cobriu com um véu. A partir de então se tornou uma tradição a noiva cobrir seu rosto com um véu antes da cerimônia de casamento. Este ritual é chamado badeken - cobertura. Porém, como Jacob foi enganado e se casou com Leah acreditando que era Rachel - pois seu rosto estava coberto por um pesado véu - tornou-se um costume, para prevenir erros deste tipo, o noivo colocar o véu na noiva. Desta forma ele poderá ver o rosto de sua futura esposa e se certificar de que é a mulher que ele escolheu de fato.


Moisés foi o maior profeta de todos os tempos. Sua grandeza é reconhecida não apenas pelo judaísmo, mas por outras religiões também. Seus irmãos Aaron e Miriam são figuras bíblicas bastante conhecidas. Mas como se chamavam os pais deles? Amram, o pai, e Yocheved, a mãe.


O judaísmo revela que a Presença de D’us se revelava no Templo Sagrado de Jerusalém. Mesmo após a destruição do Segundo Templo, a plataforma onde se erguia o Templo continua sendo sagrada, pois o espírito de D’us nunca partiu de lá.


O Lago Kineret é o único lago de água doce em Israel. Localiza-se na Galiléia Oriental e tem o formato de uma harpa. A palavra hebraica para harpa é kinor; daí o nome do lago. Algumas fontes laicas se referem ao lago como o “Mar da Galileia”.


No primeiro dia de Shavuot ouve-se, em todas as sinagogas, a leitura dos Dez Mandamentos. É da maior importância que os pais participem junto com seus filhos.


Shavuot é comemorada durante um dia, em Israel, e dois na diáspora, sempre no sexto dia do mês de Sivan, este ano, dia 16 de maio.


É costume ingerir laticínios na manhã da festa de Shavuot, após as orações matinais.


Yom Yerushalaim: o Dia de Jerusalém. Esta data festiva é o aniversário da reunificação de Jerusalém, a Cidade Sagrada, a capital eterna do povo judeu. No ano de 1967, Israel derrotou os exércitos árabes na Guerra dos Seis Dias e reunificou Jerusalém, que havia sido dividida e parcialmente ocupada pela Jordânia desde a Guerra de Independência israelense.