Morashá
YOM KIPUR Foto Ilustrativa

YOM KIPUR

“... Aos dez dias deste sétimo mês é o dia das expiações; convocação 
de santidade será para vós, e afligireis suas almas (através do jejum)...”

Edição 38 - Setembro de 2002


Segundo o Talmud, o poder de perdão para os erros cometidos não se aplica às ofensas cometidas contra o próximo: “As transgressões do homem contra D’us – o Dia do Perdão as absolve; porém as transgressões contra o próximo, o Dia do Perdão não as expia a menos que e até que o indivíduo se reconcilie com o próximo e repare o erro cometido”.

Leis referentes à véspera de Yom Kipur

É proibido jejuar no dia que precede Yom Kipur, mesmo se este jejum for Taanit Halom. É, ao contrário, uma mitzvá fazer uma refeição adicional.

É costume fazer caparot – estas consistem no abate de um galo, para um homem, e de uma galinha, para uma mulher. Esta ação deve ser feita no dia 9 de Tishrei de madrugada, por um shohet qualificado. Também é possível cumprir este costume com dinheiro, revertendo-o em tzedaká.

A refeição à véspera do jejum deve ser composta de pratos leves, de fácil digestão. Bebidas alcoólicas são proibidas.

A refeição que antecede o jejum deve ser concluída em 20 minutos antes do pôr-do-sol. Convém também ir à sinagoga antes do pôr-do-sol, para poder participar do Kol Nidrei, a “anulação dos votos”.

As mulheres devem acender as velas antes de ir à sinagoga dizendo a bênção “Ner Shel Yom Hakipurim”. Se a mulher quiser locomover-se de automóvel ou usar o elevador antes do início de Yom Kipur, deverá, antes de acender as velas, fazer uma ressalva nas preces dizendo que não está recebendo Yom Kipur.

É costume os pais abençoarem os filhos, pedindo que estes sejam selados no Livro da Vida, e que em seus corações permaneça sempre o amor a D’us.

No dia de Yom Kipur

Yom Kipur é o Shabat dos Shabatot e portanto todo trabalho profano deve cessar e todas as leis do Shabat devem ser respeitadas. Assim como no Shabat, é proibido carregar sobre si qualquer objeto durante Yom Kipur.

A Torá nos ordena também:

“Não comer, não beber, não trabalhar, não lavar-se nem massagear a pele (perfumes, cremes etc.), não calçar couro, não ter relações conjugais”.

O jejum diz respeito tanto aos homens como às mulheres, mesmo se estas estiverem grávidas ou amamentando. Só em caso de doença – ou onde há algum perigo, o jejum pode ser suspenso (consulte seu rabino).

As crianças de 9 a 10 anos podem jejuar somente algumas horas. O jejum torna-se obrigatório aos 12 anos, para meninas, e aos 13, para meninos.
Ao acordar, lavam-se as mãos até a segunda falange, com água fria e sem sabão. Passam-se os dedos ainda úmidos nas pálpebras.

O uso de sapato, sandálias ou tênis de couro é proibido tanto para homens como para mulheres. As crianças também devem ser orientadas neste sentido.
A Havdalá deve ser feita sem bessamim, mesmo em se tratando de Motsaê Shabat. A bênção da luz deve ser feita sobre uma vela que permaneceu acesa desde o dia anterior.