Morashá
MORASHA.COM Foto Ilustrativa

MORASHA.COM

Leia matéria completa!

Edição 42 - Setembro de 2003


Unesco designa arquitetura de Tel Aviv patrimônio histórico mundial

A Unesco, organismo educacional, científico e cultural das Nações Unidas (ONU), designou a “arquitetura da cidade branca” de Tel Aviv como um dos 24 novos patrimônios históricos mundiais. “Tel Aviv é um dos poucos reconhecimentos da Unesco como local de patrimônio mundial e fenômeno do século XX, o que faz da designação um evento sem precedentes”, declarou o ministro do Turismo israelense, Benny Elon. “É que praticamente todos os outros locais considerados patrimônio histórico pela Unesco são obra da natureza ou então sí-tios com centenas ou milhares de anos”, completa. Para Elon, a criação da cidade de Tel Aviv é um dos maiores símbolos e sucessos do movimento sionista. “Portanto, para a Unesco, que é um órgão afiliado a uma organização que já chegou a passar uma resolução odiosa equiparando sionismo a racismo – embora a resolução depois tenha sido revogada – reconhecer a singularidade de Tel Aviv é particularmente satisfatório para nós”, conclui. A informação é da Jewish Telegraphic Agency (JTA).

 

Argentina volta a investigar imigração nazista


O governo argentino ordenou, nesta quarta-feira, a reabertura de uma investigação para determinar se existem documentos relativos à imigração a seu país de criminosos de guerra ligados ao nazismo. Por meio de uma resolução do Ministério do Interior, as autoridades atenderam a um pedido feito em dezembro pelo Centro Simon Wiesenthal. A medida exige que a Direção Nacional de Migrações ponha à disposição pública toda a documentação relacionada com a imigração de nazistas à Argentina. Além disso, pede ao Instituto Nacional Contra a Discriminação que realize investigações para determinar se foi ordenada a destruição ou a omissão dos documentos relativos à questão.

O pedido do Centro Wiesenthal baseou-se nas informações do livro “The Real Odessa: Smuggling the Nazis to Peron’s Argentina” “O verdadeiro Odessa: o contrabando de nazistas à Argentina de Perón”, escrito pelo jornalista Uki Goñi. A Argentina foi um dos refúgios escolhidos na América do Sul pelos nazistas que escaparam da Europa após a 2ª Guerra Mundial e vários criminosos de guerra já foram encontrados no país.

Em 1992, as autoridades argentinas revelaram o segredo até então omitido por razões de Estado, sobre toda a documentação rela-cionada com os criminosos de guerra nazistas. Além disso, cinco anos depois, foi criada a Comissão para o Esclarecimento das Atividades do Nazismo na República Argentina, a fim de trazer a público informações sobre a presença de membros do Terceiro Reich no país.

O livro de Goñi e outras pesquisas anteriores vinculam a chegada de nazistas ao fato de, na década de 40, a Argentina ter sido governada por Juan Domingo Perón, um admirador da rigidez militar alemã. A informação é da agência de notícias EFE.

Organizações lançam campanha para reabilitação do ‘Dreyfuss português’

Organizações judaicas dos EUA estão solicitando ao governo português a reabilitação póstuma de Arthur Barros Basto, capitão do exército expulso há mais de 60 anos, falsamente acusado de imoralidade. O pedido, encaminhado ao embaixador português em Washington, é de que o ministério da Defesa restitua a patente a Barros Basto e que uma resolução do Parlamento lhe faça justiça. Uma campanha pública já foi lançada com este objetivo pela Amishav de Jerusalém, encabeçada pelo colunista Michael Freund, do The Jerusalem Post. Nascido de uma família cripto-judaica, Barros Basto voltou ao judaísmo, estimulando outros “judeus escondidos” do norte de Portugal a seguir seu exemplo.

Ele fundou uma sinagoga na cidade do Porto, um jornal judaico e uma ieshivá, em 1943. Quando as autoridades portuguesas viram toda esta movimentação, acusaram-no, humilhando-o publicamente e à sua família. A informação é do jornal israelense The Jerusalem Post.

Filme marcará centenário da imigração judaica no Sul

Depois de “O Quatrilho” e “Jacobina”, ambientados nas colônias italiana e alemã, o diretor carioca Fábio Barreto voltará ao Rio Grande do Sul para contar uma história de imigrantes judeus, desta vez em parceria com o gaúcho Ricardo Zimmer. Baseado no livro do agora “imortal” Moacyr Scliar, o filme “O exército de um homem só” será ambientado no bairro tradicionalmente judaico do Bom Fim, em Porto Alegre, onde o idealista e visionário Mayer Guinzburg, que será interpretado por Luciano Szafir, sonha construir uma comunidade socialista e, ao mesmo tempo, vive a tentação de ficar rico. “É uma reconstituição de época que tem como pano de fundo a história do Brasil e do mundo”, destaca Zimmer. A trajetória de Guinzburg, de 1917 a 1970, mostrará a influência de momentos históricos, como a criação do Estado de Israel e perseguições de integralistas. O filme será lançado em 2004, ano em que se comemora o centenário da imigração judaica para o Rio Grande do Sul. A informação é do jornal “O Estado de São Paulo”.

Pesquisadores israelenses desenvolvem melancia light

Cientistas israelenses anunciaram o desenvolvimento de um novo tipo de melancia de baixas calorias, com a mesma doçura, mas com menos açúcar que as variedades usuais da fruta.

Segundo Shmuel Wolf, chefe de pesquisas da equipe da Universidade Hebraica de Jerusalém, uma melancia de tamanho médio tem 54 calorias para cada 112 gramas. Já a nova variedade possui entre 20 a 40% de calorias a menos. As calorias da fruta vêm de três tipos de açúcar: sacarose, glicose e frutose. Para criar a versão light, os cientistas separaram a frutose. Wolf explicou que sua equipe utilizou uma variedade selvagem da fruta que cresce no deserto do Saara e no norte da África, com alto percentual de frutose.

A nova fruta foi obtido através de métodos normais de cultivo e não por modificação genética. O pesquisador afirmou não saber quando a versão light da melancia deve chegar ao mercado. A informação é do site El Reloj.

Empresa israelense sai na frente na luta contra SARS

A empresa israelense Medex Screen saiu na frente na luta contra a Síndrome de Imunodeficiência Respiratória (SARS) com o desenvolvimento de um produto que poderá identificar a doença em seus estágios iniciais. Os primeiros testes já foram realizados em pacientes internados num hospital de Cingapura.

Fundada na cidade de Dimona, em 1999, a empresa tem-se dedicado ao desenvolvimento de instrumentos não-invasivos que permitam a detecção de males nos órgãos internos, testando-os em hospitais israelenses ao longo do ano passado.

A Medex Screen já assinou um acordo com uma rede de clínicas nas Filipinas, em parceria com seguradoras locais, para a implantação de centros de diagnósticos para deficiências imunológicas. O produto garante um diagnóstico em dez minutos. A informação é da Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria.

Judaísmo Faz Bem e Faz o Bem 

É o tema da campanha publicitária da Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp) que reuniu artistas judeus paulistanos como Luciano Huck, Didi Wagner, Joyce Pascowitch, Tufi Duek e Mary Nigri. Um time de primeira linha trabalhou voluntariamente em prol da campanha. A agência Giovanni, FCB ficou à frente da criação, concepção e mídia. Os cliques são de Bob Wolfenson. Os artistas também não cobraram cachê e todos os espaços na mídia foram concedidos gratuitamente pelos veículos. A campanha tem como objetivo angariar fundos para a Fisesp, representante oficial da comunidade judaica paulista e que congrega 55 organizações e entidades beneficentes, entre elas Unibes e Ten Yad, sinagogas e escolas judaicas, além de instituições bastante conhecidas também na comunidade maior como Hebraica e o Hospital Israelita Albert Einstein. Juntas, essas entidades atendem a mais de 100 mil pessoas em todo estado. 

Marcus Moraes
jornalista responsável pelas notícias do site morasha.com