Morashá
EDUCAÇÃO AO ALCANCE DO MUNDO Foto Ilustrativa

EDUCAÇÃO AO ALCANCE DO MUNDO

Sediada em Israel, a ORT, organização atuante em mais de 50 países com a missão de educar para a vida, está celebrando 120 anos de existência.

Edição 31 - Dezembro de 2000


Fundada em 1880, em St. Petersburgo, sua filosofia básica sempre foi educar e treinar, para que as pessoas possam melhorar seu nível de vida e manter suas raízes judaicas. A ORT sobreviveu à revolução russa e conseguiu continuar seu trabalho nos guetos da Europa sob domínio nazista. Depois da Segunda Guerra, organizou cursos profissionalizantes nos campos para pessoas deslocadas. Instituídos pelos aliados e espalhados por toda Europa Ocidental, os campos abrigavam os sobreviventes da fúria nazista (a maioria judeus do leste europeu), que não tinham para onde voltar. A ORT ajudou-os a reconstruir suas vidas. Nos países árabes e na Etiópia a organização ajudou a preparar os judeus que queriam fazer aliá ensinando-lhes o hebraico e também algum tipo de profissão. A ORT foi também a primeira organização a voltar para a antiga União Soviética após o colapso do comunismo.

Atualmente, com um orçamento anual de cerca de US$ 330 milhões e 280 mil alunos espalhados pelo mundo, a organização mantém 13.500 professores e cientistas. Este é, segundo Robert Sin-ger, seus presidente há 18 meses, o maior patrimônio da organização: "A combinação dos conhecimentos destes profissionais é algo que nenhuma outra entidade possui e nós devemos saber como multiplicar os resultados que este potencial humano tem a oferecer ao mundo".

Foi imbuído desta idéia que Singer assumiu a presidência da ORT visando não apenas expandir a rede da entidade em todo o mundo, mas também divulgar este trabalho junto às comunidades judaicas da diáspora. "Antes de integrar-me à organização, eu não podia sequer imaginar que esta é uma das mais importantes instituições educacionais judaicas do século 20. Na minha opinião, esta é uma das maiores falhas da entidade: não divulgar melhor seus objetivos e, principalmente, suas realizações. É um erro possuir um patrimônio como a ORT e desconhecer o seu potencial". Singer fez estas afirmações em uma entrevista publicada pelo jornal Jewish Chronicle na edição de 8 de setembro deste ano.

Singer pretende iniciar novos projetos, principalmente em regiões carentes do mundo, visando oferecer programas educativos para aqueles que não têm outra opção. "Corpo de Paz Judaico": é assim que Singer defende os voluntários e profissionais da ORT, numa alusão ao movimento norte-americano voluntário "Peace Corps", da década de 60-70. De acordo com o plano estratégico elaborado por ele e sua equipe nos últimos meses, as áreas mais necessitadas são: Israel, a ex-União Soviética e a América Latina.

Ele acredita que um elemento fundamental para o sucesso de qualquer projeto é contar com o apoio das comunidades judaicas locais, mesmo que estas não sejam muito grandes. Neste sentido, a organização defende a realização dos programas com a colaboração das comunidades vizinhas maiores. Como exemplo, cita a implantação de um Centro de Computação em Cuba, que está sendo gerenciado pela ORT mexicana, até que a ORT cubana possa assumir a administração. A idéia nasceu no escritório londrino da ORT e os recursos foram arrecadados nos Estados Unidos.

Segundo o presidente da ORT, apesar de a grande maioria dos projetos serem realizados em países menos desenvolvidos, os fundos são arrecadados no mundo inteiro. Entre os maiores doadores está a Grã-Bretanha, que participa dos programas não apenas com recursos financeiros, mas também com o trabalho de professores judeus universitários britânicos que tomam parte em programas no Chile, Rússia e Argentina, atuando como shlichim, a palavra em hebraico para os israelenses que atuam na diáspora no campo da educação.

A educação judaica em todo o mundo é outro ponto considerado importante por Singer, que vem também dedicando esforços visando a melhoria do ensino para aumentar o número de alunos em escolas comunitárias. Utilizando os recursos da Internet, a ORT desenvolveu o projeto "Negotiating the Bible", que permite aos meninos das comunidades judaicas mais afastadas preparar-se para o Bar-mitzvá através de cursos à distância.

A ORT atua no Brasil desde 1943 e, em São Paulo, desde 1985, após um breve período de funcionamento em 1940. O Instituto de Tecnologia ORT-SP implantou a informática educacional em diversas escolas. Atualmente, atende cerca de 2.800 alunos da rede particular de ensino, desde a Pré-Escola ao Segundo Grau. Sua meta é o aprimoramento tecnológico com enfoque pedagógico, através de assessoria e consultoria a instituições educacionais.