Morashá
O SEDER DE PESSACH Foto Ilustrativa

O SEDER DE PESSACH

Neste ano, o dia 14 de Nissan, véspera de Pessach, cai no dia 27 de março, quarta-feira. O primeiro Seder será realizado após o pôr-do-sol.

Edição 36 - Março de 2002


Bedicat Chametz – busca do chametz

A procura do chametz é feita na terça-feira 26 de março, depois do pôr-do-sol (depois da oração de Arvit), em todos os locais onde porventura tenha sido introduzido chametz durante o ano. Antes de fazer a vistoria deve-se guardar, num único lugar, o chametz necessário para o café da manhã do dia seguinte, até às 9:30hs.

Antes de iniciar o Bedicat Chametz, recita-se a bênção Al Biur Chametz, e depois da verificação, declara-se a sua anulação através do trecho Cal Chamirá. 

Shetar harshaá – venda do chametz

A Shetar harshaá (venda do chametz) é praticada pelo rabino até dia 27 às 9:00hs. Tradicionalmente, após guardar o chametz num quarto fechado ou num congelador trancado, é dada autorização ao rabino para a venda do nosso chametz. Assim o chametz deixa de pertencer ao judeu.
A venda do chametz on-line estará disponível no site da Revista Morashá: www.morasha.com.br.

Biyur chametz – queima do chametz

Todo o chametz é queimado na quarta-feira, 27 de março, até às 10h30m. Logo após a queima do chametz, fala-se o trecho Cal Chamirá.

Jejum dos primogênitos

Este jejum é realizado na véspera de Pessach, porém costuma-se participar de um término de tratado Talmud para isentar-se dele.


Na véspera do Seder

Na quarta-feira, a cozinha deverá estar devidamente “casherizada”. É costume sírio comer matzá até um dia antes do Seder.

À véspera de Pessach, é permitido comer matzá ashirá (matzá de ovo). A matzá shemurá é usada nas duas noites do Seder. Alguns a usam durante toda a festa. Na véspera de Pessach é proibido ingerir pão após às 9h30m e também não podemos ingerir matzá antes do Seder.



PREPARAÇÃO DA MESA


No Seder, prepara-se a mesa da seguinte forma: no centro de uma bandeja colocam-se três matzot, que representam os três grupos de judeus: Cohanim, Leviim e Israel.

Ao lado dessas matzot, colocam-se os seguintes símbolos:

Zeroá
Pedaço de osso do cordeiro ou ovelha, que se coloca na parte superior, à direita da bandeja. Este osso simboliza o poder com que D’us nos tirou do Egito e o cordeiro nos lembra o cordeiro pascal, sacrificado no Templo.

Betsá
Ovo cozido, colocado na parte superior à esquerda da bandeja, simboliza uma lembrança do sacrifício que se oferecia em cada festividade.

Marór
Erva amarga, colocada no centro da bandeja, simboliza o sofrimento dos judeus escravos no Egito. Usa-se escarola, verdura mais amarga que alface.

Charósset
Mistura de nozes, amêndoas, tâmaras, canela e vinho. Colocada na parte inferior à direita da bandeja, representa a argamassa com a qual os judeus trabalhavam na construção das edificações do faraó.

Karpás
O salsão, colocado embaixo, à esquerda. Essa verdura, molhada em vinagre ou água salgada, serve para dar o “sabor” do Êxodo. Lembra o hissopo (Ezov) com o qual os israelitas aspergiram um pouco de sangue nos batentes de suas casas, antes da praga dos primogênitos.

Chazéret
Escarola. Coloca-se sob o Marór.

Além disso, colocam-se na mesa:

• Um recipiente com água salgada, em que se mergulham as verduras. Lembra o mar.
• A taça para cada um dos presentes. O conteúdo mínimo de cada taça é de 86ml (valor numérico de Kos = copo).


O SEDER - ORDEM


Durante o Seder, quem conduz a cerimônia deve obedecer a seguinte ordem:

Kadesh - fazer o kidush

O Seder começa com o kidush feito sobre um copo de vinho cheio. Cada um dos presentes tem obrigação de beber no decorrer do Seder quatro copos de vinho, contendo cada um pelo menos 86 mililitros. Estes quatro copos lembram as quatro expressões de salvação mencionadas na Torá:

“...E vos tirarei do Egito... e vos salvarei da 
escravidão... e vos redimirei com braço estendido... 
e vos tomarei para mim como povo...”

Ao terminar de recitar o kidush, cada um dos presentes bebe o primeiro dos quatro copos, reclinando-se sobre o lado esquerdo, como expressão de liberdade.

Ele moadei Ad-onai mikraê kodesh, asher tikreú otam bemoadam. Vaidaber Moshe et moadei Ad-onai el benei Israel.

Sabri maranan!

Veonim: (Lechaim).

Baruch Atá Ad-onai El-oheinu melech haolam borê peri haguefen.

Baruch Atá Ad-onai El-oheinu melech haolam, asher bachar banu mikol am, veromemanu mikol lashon, vekideshanu bemitsvotav, vatiten lanu Ad-onai El-ohenu beahavá Shabatot limnuchá umoadim lesimchá, chaguim uzmanim lessasson. Et yom chag hamatsot hazé, veet yom tov mikra kodesh hazé, zeman cherutenu. Beahavá mikra kodesh, zecher litsiat mitzraim, ki banu bacharta veotanu kidashta mikol haamim, umoadei kôdshecha besimchá uvssasson hinchaltánu. Baruch Atá Ad-onai, mekadesh Yisrael vehazemanim.

Baruch Atá Ado-nai El-ohenu melech haolam shehecheianu vekiyemanu vehiguianu lazeman haze.


Urchatz – Lavar as mãos
Lavam-se as mãos como normalmente se faz antes de comer o pão, porém não se fala a berachá. Isto porque o karpás é mergulhado na água salgada, o que exige lavar as mãos antes.

Karpás – Salsão
Mergulha-se um pedacinho de salsão (com menos de 18g) na água salgada e, antes de comê-lo, recita-se a seguinte bênção (pensando no marór, pois a berachá também é válida para este):

Baruch Atá Ad-onai El-ohenu melech haolam borê peri haadamá.

Yachats – Partir a matzá
Na bandeja do Seder há três matzot. Toma-se a matzá do meio, quebrando-a em duas partes para lembrar o pão da pobreza, que nunca está inteiro. O pedaço menor é recolocado, entre as duas matzot inteiras, na bandeja do Seder. O pedaço maior é guardado dentro de um guardanapo, sendo escondido. Este pedaço é o Aficoman, que será comido no final do Seder. As crianças costumam procurar o Aficoman, ganhando brindes se o encontrarem, como pretexto para deixá-los acordados.

Maguid – Recitação da Hagadá
Descobre-se a matzá e começa-se a leitura da Hagadá.

Ha lachmá aniá. Este é o pão da pobreza – recita-se até o final do primeiro trecho. Enche-se novamente o copo de vinho e o mais jovem da casa recita, então, as quatro perguntas.

Ma nishtaná
Por que esta noite é diferente de todas as outras noites?
– Em todas as noites não temos obrigação de mergulhar os alimentos nem uma só vez, enquanto que nesta noite o fazemos duas vezes?
– Em todas as noites comemos pão com levedura ou matzá, ao passo que esta noite, só matzá?
– Em todas as noites comemos todo tipo de verduras, enquanto que esta noite comemos marór - ervas amargas?

– Em todas as noites comemos sentados, enquanto que esta noite todos nos reclinamos?

A resposta começa com Avadim hainu – escravos fomos – e faz-se uma narrativa histórica, falando sobre a escravidão e os sofrimentos dos judeus no Egito. Conta-se sobre as pragas e sobre os milagres realizados por D’us para a redenção de seu povo.

A terminar o texto da Hagadá com a bênção Asher guealanu, bebe-se o segundo copo de vinho, reclinando-se sobre o lado esquerdo, sem dizer a berachá.

Rochtsá – Lavagem das mãos
Antes do Hamotsi lavam-se as mãos para a refeição, recitando a seguinte bênção:

Baruch Atá Ad-onai El-ohenu melech haolam asher kideshanu bemitsvotav vetsivanu al netilat yadaim.

Motsi Matzá – Bênção da matzá
Segurando as três matzot (as duas inteiras e a quebrada), recita-se a bênção do pão (Hamotsi):

Baruch Atá Ad-onai El-ohenu melech haolam hamotsi lechem min haaretz.

Imediatamente solta-se a matzá inferior e, segurando a matzá superior e a do meio, diz-se:

Baruch Atá Ad-onai El-ohenu melech haolam asher kideshanu bemitsvotav vetsivanu al achilat matzá.

Marór – Erva amarga
Pega-se a folha de alface e mergulha-se no charosset. Não se reclina o corpo ao comer o marór, pois este nos lembra a servidão e a amargura. Antes de comer recita-se a seguinte bênção:

Baruch Atá Ad-onai El-ohenu melech haolam asher kideshanu bemitsvotav vetsivanu al achilat marór.

Korech – Sanduíche de matzá e marór
Na Torá está escrito: Al matzot umerorim yocheluhu. Hillel entendia que se devia comer o sacrifício pascal junto com matzá e marór. Portanto, pega-se a matzá inferior e coloca-se entre dois pedaços da mesma (equivalentes ambos a um kazait), um outro kazait de alface romana (pesando cerca de 29g), mergulha-se tudo junto no charosset e se diz:

Zecher lamikdash kehilel hazaken shehaya korchan veochlam bebat achat lekayem ma sheneemar al matzot umerorim yocheluhu. Come-se, então, reclinando-se sobre o lado esquerdo.

Shulchan Orech – Refeição festiva
Serve-se a refeição, que se inicia com o ovo cozido. Depois, seguem-se os pratos especialmente preparados para a ceia. Deve-se acabar antes da meia-noite, para poder comer o aficoman antes desse horário.

Tsafun – Aficoman
Após a refeição come-se um kazait (29g) de matzá, que é o aficoman, recitando-se a seguinte frase: “Zecher lekorbarn Pessach haneechal al hassabá”. Após esta bênção, não é mais permitido comer ou beber durante essa noite, com exceção dos últimos copos de vinho.

Barech – Bênção após a refeição
Enche-se o copo de vinho pela terceira vez, recitando-se, então, o Bircat Hamazon. Logo se diz a bênção do vinho e se toma o terceiro copo, reclinado sobre o lado esquerdo.

Halel – Louvores
Enche-se o quarto copo de vinho e recitam-se os louvores a D’us desde Shefoch Chamatchá, seguido do Halel até a conclusão do Nishmat. Bebe-se o quarto copo de vinho com o corpo reclinado sobre o lado esquerdo e depois recita-se a berachá “Al haguefen veal peri haguefen”, a bênção para quando se bebeu vinho em quantidade maior do que 45 centímetros cúbicos.

Nirtsá – Aceitação
Tendo conduzido o Seder da maneira certa, conforme indicado acima, a pessoa pode estar segura de que o mesmo foi bem aceito. Então, termina-se com a seguinte proclamação: Leshaná habaá b’Yerushalaim – “No próximo ano em Jerusalém”.