Morashá
A Contagem do Omer Foto Ilustrativa

A Contagem do Omer

A Torá nos manda contar o período do Omer, que se inicia no segundo dia de Pessach, neste ano após o anoitecer do dia 13 de abril.

Edição 52 - Abril de 2006


A Torá nos manda contar o período do Omer, que se inicia no segundo dia de Pessach, neste ano após o anoitecer do dia 13 de abril. Na antiga Israel era o dia que os judeus levavam ao Templo de Jerusalém uma oferenda dos novos grãos. Após a data, iniciava-se, então, a Contagem do Omer, em hebraico de Sefirat HaOmer, que durava 49 dias. No 50º, celebrava-se Shavuot.

Com a destruição do Templo, não foi mais possível fazer a oferenda, mas a tradição de se contar os dias entre Pessach e Shavuot, continuou sendo observada. Pois, mais do que recordar as oferendas, serve como uma re-encenação espiritual das sete semanas em que nossos antepassados, após o Êxodo do Egito, se prepararam para receber a Torá no Monte Sinai.

A Contagem representa, portanto, os 49 degraus de ascensão espiritual realizados, no deserto, pelos hebreus. No Egito, eles haviam perdido não apenas a sua liberdade como também a sua espiritualidade. Era uma tarefa enorme - fazer com que uma população escravizada, que vivera sob a influência do paganismo egípcio, alcançasse o alto grau de espiritualidade necessário para receber a Torá. D'us mostrou a Moisés como realizá-la. A cada dia, cada um dos Filhos de Israel deveria mudar uma faceta de seu caráter, refinar um traço de sua personalidade. Assim, a cada dia cresceria um pouco, até chegar à elevação necessária para receber a Torá.

Durante os 49 dias de Sefirat HaOmer temos a oportunidade de subir, passo a passo, a escada do aprimoramento pessoal tentando alcançar um crescimento interior e uma transformação. De acordo com a Cabalá, são sete as emoções básicas de todos seres humanos, e estas correspondem a sete das Dez Sefirot. Chamadas de Midot, estas são: Chessed, bondade; Guevurá, severidade ou força; Tiferet, harmonia; Netzach, perseverança; Hod, empatia; Yessod, união; Malchut, realização do potencial no homem. Os 49 dias do Omer resultam da multiplicação de sete vezes as Sete Sefirot. Cada dia tem, portanto, sua própria energia espiritual e representa o aperfeiçoamento de uma das sete emoções, subdivididas em sete, pois cada uma inclui dentro de si aspectos das demais. Canalizamos a energia do dia quando interiorizamos seu significado.

Por isso, mencionamos durante a Contagem a emoção especifica e a sua subdivisão, por exemplo:

O 1º dia é Chessed Shebechessed - A bondade que existe na bondade;

O 2º dia é Guevurá Shebechessed - A severidade ou o rigor que existe na bondade. E assim por diante.

A Contagem

A Contagem do Omer deve ser sempre feita de pé, após o aparecer das estrelas, quando segundo a tradição judaica um novo dia começa. Em seguida, diz-se a berachá:

Baruch Ata A-do-nai, E-lo-henu Melech haolam, asher kideshanu bemitsvotav, vetsivanú al sefirat Ha-Omer.

Bendito és Tu, Eterno, nosso D'us, Rei do Universo que nos santificaste com Teus mandamentos e nos ordenaste contar o Omer.

Em seguida, diz-se o número de dias da Contagem, por exemplo:

Hoje é o dia 1 da contagem do Omer;

Hoje é o dia 2 da contagem;...

Hoje é o dia 7 da contagem do Omer, ou seja uma semana...

A Contagem do Omer se encerra no dia 49, quando recitamos: Hoje é o dia 49 da contagem, ou seja sete semanas.

Se alguém esquecer em alguma noite de contar o Omer, poderá fazê-lo no dia seguinte, porém sem dizer a berachá. Se a pessoa esquecer de contar o Omer também no dia seguinte, não mais poderá recitar a berachá durante os dias remanescentes. Porém, mesmo no caso de não mais poder recitar a berachá, a pessoa deve continuar contando os dias do Omer.

A Contagem do Omer pode ser realizada em qualquer idioma, porém o costume é fazê-lo em hebraico. A lista dos dias e informações mais detalhadas podem ser encontradas em qualquer Sidur.