Morashá

Sucot

A festa de Sucot, celebrada durante sete dias, é primordialmente cumprida pelo atendimento a dois mandamentos: habitar em uma Sucá e sacudir as Quatro Espécies. 


Sucot: algumas leis e tradições

Sucot: algumas leis e tradições

A festa de Sucot, chamada pela Torá de 'época de nossa alegria', celebra os milagres que D-us realizou em prol dos filhos de Israel durante os 40 anos em que vagaram pelo deserto do Sinai.

Edição 58 - Setembro de 2007


O livro de Kohelet e a festa de Sucot, uma ligação intrínseca

O livro de Kohelet e a festa de Sucot, uma ligação intrínseca

Em Sucot, também chamada Zeman Simchatenu - Época de nossa Alegria - lemos nas sinagogas a obra do Rei Salomão, o Kohelet, Eclesiastes. Esta nos remete aos verdadeiros valores da vida.

Edição 50 - Setembro de 2005


A festa de Sucot: celebração da unidade judaica

A festa de Sucot: celebração da unidade judaica

'E tomareis para vós, no primeiro dia, o fruto da árvore formosa- etrog, palmas de palmeira, ramos de murta e de salgueiro das ribeiras, e vos alegrareis diante do Eterno, vosso D'us, durante sete dias'(Levítico, 23:40).

Edição 46 - Setembro de 2004


SUCOT, A FESTA DAS CABANAS

SUCOT, A FESTA DAS CABANAS

A festa de Sucot é caracterizada principalmente pela obrigação do povo judeu de habitar em cabanas. A sucá lembra as tendas (ou as nuvens celestiais) que serviram como habitação para nossos antepassados durante os 40 anos que passaram no deserto do Sinai, após o Êxodo do Egito.

Edição 42 - Setembro de 2003


ETROG, UMA FRUTA DIVINA

ETROG, UMA FRUTA DIVINA

Assim, no primeiro dia da festividade de Sucot, cada pessoa deve adquirir para si as “Quatro espécies” (em hebraico, Arbaá Minim) – um etrog (fruta citríca), o lulav (ramo de palmeira), o hadás (ramo de mirta) e os aravot (ramos de salgueiro). As qua

Edição 38 - Setembro de 2002


A SUCÁ E SEU SIGNIFICADO

A SUCÁ E SEU SIGNIFICADO

“E falou o Eterno a Moisés: Fala aos filhos de Israel, dizendo: Aos quinze dias deste sétimo mês, será festa das cabanas (Sucot), por sete dias, ao Eterno.

Edição 34 - Setembro de 2001