Os passos de nossos antepassados - ed.28 - Página2
Web e genealogia

O advento da Internet foi uma verdadeira revolução para a genealogia, abrindo caminho para pesquisas, facilitando o acesso a dados e permitindo a comunicação via e-mail. Tornou-se muito mais fácil e, sem sombra de dúvida, mais barato descobrir linhagens. Atualmente, há até programas que ajudam a montar árvores genealógicas.

Em 1990, havia 39 sociedades genealógicas judaicas em todo o mundo. Atualmente há 75, com oito mil membros já cadastrados. Mas isto representa apenas uma fração dos judeus interessados em traçar suas raízes, em um único site sobre este assunto. No www.jewishgen.org há cerca de 30 mil pessoas cadastradas à procura de seus familiares.

Neste site pode ser encontrado praticamente tudo o que existe no mundo em relação a esse gênero de pesquisa. É fantástico, tanto pelo volume de informações, como pela qualidade organizacional e atualização. O site esclarece e orienta os que desejam rastrear algum parente perdido, fornecendo nomes e endereços de pessoas com o mesmo sobrenome. Fornece, também, possíveis bancos de dados que vão desde arquivos portuários e livros até bibliotecas especializadas em genealogia. O "jewish.org" oferece, inclusive, um grupo de chat, bate-papo, no qual os usuários podem obter as últimas novidades em genealogia judaica, com especialistas de todo o mundo.

No Brasil também existe um interesse sobre o assunto e a Sociedade Genealógica Judaica do Brasil oferece informações sobre o assunto no seguinte endereço eletrônico: http://www.-lookup.-com/-homepages/82259/-sgjbpage.-htm.

Bancos de dados

O Arquivo Nacional Americano possui 30 arquivos regionais em todo o país. Cada um possui um censo completo, em microfilme, que possibilita o acesso à lista de passageiros que chegaram aos portos dos Estados Unidos desde 1820. As informações contêm dados como idade, país de origem do imigrante, sua última residência, cidade natal e a concessão de naturalização.

O Arquivo Nacional do Canadá também possui microfilmes arquivados na Internet com a lista de passageiros que chegaram aos seus seis principais portos, dentre estes, Quebec e Haifax. O porto de Hamburgo, na Alemanha, tem em sua lista de imigração, entre 1850 e 1934, 40% de judeus originários da Polônia, Rússia e Hungria.

A Biblioteca da História Familiar localizada em Salt Lake City, Utah, nos Estados Unidos, é a maior biblioteca genealógica do mundo. Apesar de seus fundadores serem mórmons, devido ao seu interesse religioso em determinar as raízes de cada indivíduo no mundo, 90% dos inscritos em seus cadastros não são mórmons. Esta biblioteca, com mais de dois milhões de microfilmes, 70 mil microfichas e 280 mil livros, colaborou na organização da listagem de judeus da Polônia, Alemanha e Hungria. Pode-se encontrá-la na Enciclopédia de Genealogia Judaica e no site www.avotaynu.com.
Anterior  12  Próxima
N.84/julho 2014
Clique acima e consulte as edições anteriores.

Julho 25
27 Tammuz

horário
17:23

Julho 26
28 Tammuz

horário
18:17