Morashá
CELEBRANDO CHANUCÁ Foto Ilustrativa

CELEBRANDO CHANUCÁ

A festa de Chanucá inicia-se no dia 25 de Kislev, este ano, em 29 de novembro, indo até 2 de Tevet, 6 de dezembro.

Edição 39 - Dezembro de 2002


Desde a histórica vitória dos macabeus sobre os assírios e seus aliados - os judeus helenizados - ocorrida em 165 antes da Era Comum - celebra-se Chanucá durante oito dias. Após três longos anos de guerra, os macabeus conseguiram derrotar aqueles que queriam impor restrições às práticas religiosas judaicas, reconquistaram o Templo Sagrado de Jerusalém - que havia sido profanado por imagens e práticas pagãs -, e restauraram as tradições de seus ancestrais. A palavra Chanucá, em hebraico, significa dedicação e refere-se à purificação e conseqüente rededicação do Grande Templo de Jerusalém a D'us.

Após a reconquista do local, era necessário reacender a menorá no Templo. Para isto, era preciso encontrar azeite que não tivesse sido profanado. Os macabeus encontraram um pequena jarra de azeite puro que daria apenas para um dia. Mesmo sabendo que era muito pouco, acenderam a menorá.

Milagrosamente, sua chama permaneceu acesadurante oito dias. O azeite, que mal dava para um dia, foi-se renovando por oito dias, tempo suficiente para a produção do novo azeite. Mais um milagre havia acontecido para demonstrar a bondade e o amor do Eterno para com seu povo. Desde então, para recordar os milagres que o Eterno fez por Israel naquela época, celebramos Chanucá, durante oito dias.

Pronunciam-se as seguintes bênçãos:

Baruch atá Ad-nai El-hênu Mélech haolam asher kideshánu bemitsvotav vetsivánu lehadlic ner Chanucá. 
(os ashquenazitas terminam com: ner shel Chanucá)

Bendito sejas Tu, Senhor nosso D'us, Rei do universo, que nos santificaste com Teus mandamentos e nos ordenaste acender as velas de Chanucá.



Baruch atá Ad-nai El-hênu Mélech haolam sheassá nissim laavotênu bayamim hahem bazeman hazê.

Bendito sejas Tu, Senhor nosso D1us, Rei do universo, que fizeste milagres para nossos ancestrais, naqueles dias, nesta época.

Na primeira noite acrescenta-se uma terceira berachá:


Baruch atá Ad-nai El-hênu Mélech haolam shehecheyánu vekiyemánu vehiguiyánu lazeman hazê.

Bendito sejas Tu, Senhor nosso D'us, Rei do universo, que nos deste vida, nos sustentaste e nos fizeste chegar até este dia.

E, a seguir, acendem-se as velas:

Durante os oito dias da festa, acende-se diariamente chanuquiá - o candelabro especial de Chanucá, após o aparecimento das estrelas. Na sexta-feira à noite, véspera do Shabat, as velas são acesas antes do pôr-do-sol, ou seja, antes de se acenderem as velas de Shabat. Nesse dia devem ser usadas velas maiores para que ardam até meia hora depois do início do Shabat.

Usar azeite ou velas de cera ou parafina, grandes o bastante, para que a luz da chanuquiá permaneça ardendo no mínimo meia hora após o anoitecer. Por isso, se uma vela apagar durante este período - com exceção da noite de Shabat - deverá ser acesa novamente.

Usar um shamash (uma vela) que será colocado em um lugar especial no candelabro. Algumas comunidades usam o shamash para acender as demais velas, outras usam uma vela extra.

A primeira vela deve ser colocada na extrema direita. A cada dia acrescenta-se mais uma vela, sempre começando da direita para a esquerda, ao lado da anterior, até completar oito velas. Portanto, sempre se começa acendendo a vela nova, colocada à esquerda da última, e continua-se acendendo da esquerda para direita.

Sábado à noite, as velas de Chanucá são preparadas
e acesas após a Havdalá.

Por ser sagrada, a luz da chanuquiá não poderá ser usada para nenhum outro fim (trabalhar, ler etc.)

Todos os membros da família devem estar presentes >na hora de acender as velas. Não somente marido e mulher, mas também os filhos de todas as idades. Desde que possam segurar com firmeza uma vela, as crianças têm obrigação de acendê-las. Estudantes ou solteiros que moram sozinhos devem ter suas próprias chanuquiot. As mulheres têm a mesma obrigação. Portanto, em um lugar onde só há mulheres, devem ser acesas as velas e pronunciadas as bênçãos. Nossos sábios enfatizam a importância da participação das mulheres na cerimônia, pois grande parte da vitória militar dos judeus sobre seus inimigos se deve a Judith (Morashá nº 15). Rabi Yehoshua Ben-Levi dizia: " As mulheres são obrigadas a cumprir a mitzvá de Chanucá, pois elas também são parte do milagre". Os gregos haviam decretado que toda jovem, no dia que antecedesse seu casamento, deveria se submeter sexualmente a um príncipe grego. As mulheres se salvaram deste decreto desde o milagre da vitória dos macabeus.

Costuma-se colocar a chanuquiá sobre uma mesa no lado esquerdo da porta de entrada, frente à mezuzá, ou janela que dá para a via pública.


PRIMEIRA NOITE
25/Kislev - sexta-feira
29 de novembro
antes das 19:19h
SEGUNDA NOITE
26/Kislev - sábado
30 de novembro
a partir das 20:05h
TERCEIRA NOITE
27/Kislev - domingo
01 de dezembro
a partir das 20:05h
QUARTA NOITE
28/Kislev - segunda-feira
02 de dezembro
a partir das 20:06h
QUINTA NOITE
29/Kislev - terça-feira
03 de dezembro
a partir das 20:06h
SEXTA NOITE
30/Kislev - quarta-feira
04 de dezembro
a partir das 20:07h
QUINTA NOITE
29/Kislev - quinta-feira
05 de dezembro
a partir das 20:08h
QUINTA NOITE
29/Kislev - sexta-feira
06 de dezembro
antes de 19:23h