Morashá
Tributo a um dos maiores contadores de histórias Foto Ilustrativa

Tributo a um dos maiores contadores de histórias

Não resta dúvida: Will Eisner mudou a face das Histórias em Quadrinhos (HQs). Considerado um de seus maiores criadores, teve papel fundamental para aquela que seria uma das mais importantes manifestações da cultura de massa.

Edição 52 - Abril de 2006


Eisner iniciou sua carreira, como cartunista, no final da década de 1930, quando a revista "WOW, What a Magazine!" publicou sua primeira história em quadrinhos. No entanto, foi a partir de 1940 que se torna conhecido internacionalmente com aquela que viria a ser sua maior criação - "The Spirit". As aventuras do detetive mascarado, Danny Colt, passaram a ser publicadas nos suplementos dominicais dos jornais norte-americanos. A trama era pouco comum e o personagem, completamente novo. Não se tratava apenas de mais um super-herói, era um cidadão comum, que nem mesmo usava roupas especiais para lutar contra os criminosos. As narrativas eram sobre dramas humanos, fatos que aconteciam no cotidiano de qualquer habitante das cidades grandes, mesclados com situações extraordinárias, típicas das "revistinhas", como eram carinhosamente chamadas no Brasil.

Filho de judeus imigrantes, Will Eisner nasceu em 1917 no bairro do Brooklyn, onde passou sua juventude. A experiência de vida em Nova York foi fonte de inspiração para grande parte de sua obra. Em 1978, depois de inúmeros sucessos, criou "A Contract With God" ("Um Contrato com D'us), no qual retrata a vida nos anos 1930 dos judeus do Bronx, bairro nova-iorquino próximo de onde ele viveu. Nesta obra introduziu o gênero e o termo "graphic novel" (romances ilustrados), que se tornaria famoso. Além de inaugurar um novo estilo e demonstrar o potencial das HQs na abordagem de temas complexos, a obra também abriu espaço para que ele divulgasse suas reflexões sobre os conflitos dos imigrantes para se adaptar a um novo país; a análise da sociedade norte-americana sob a ótica dos imigrantes e seus descendentes; e a ascensão e declínio da sua cidade natal - Nova York.

"Um Contrato com D'us" narra a vida do jovem estudante Frimme Hirsh, escolhido em sua comunidade, na velha Europa, para ir ao Novo Mundo em virtude de suas boas ações. Antes de partir, preocupado se o Todo-Poderoso reconheceria sua retidão, ele redige um contrato com D'us em uma pedra. Já em seu novo lar, um subúrbio imaginário de uma cidade na América, o jovem se dedica a ajudar os outros, principalmente um bebê abandonado à sua porta. Contudo, revoltado com a morte de sua filha adotiva, deixa-se dominar pela raiva e acusa o Eterno de ter violado o contrato.

Esta primeira graphic novel foi reeditada em 2005, nos Estados Unidos, como uma trilogia : "A Contract with God Trilogy", que inclui as obras : "A Life Force" (Uma força vital), de 1988; e "Dropsie Avenue" (Avenida Dropsie: a Vizinhança), de 1995.

Em "A Life Force" Eisner concentra sua narrativa sobre a vida na América durante e após a Grande Depressão de 1930. Seus personagens lutam por uma felicidade que dificilmente conseguem alcançar, ocupados como estão em simplesmente sobreviver. Além de lidar com as dificuldades do dia a dia, tentam por todos os meios escapar das ameaças da Máfia norte-americana e da Europa de Hitler.

Em "Dropsie Avenue", o cartunista busca em suas recordações de juventude os traços para a construção dos personagens, através dos quais retrata 120 anos da história da famosa avenida no sul do Bronx, que dá título à obra. Narra a transformação de uma área rural em um centro urbano enquanto ondas de imigração e, suas conseqüências socialmente traumáticas, moldam toda uma cidade. Fala das disputas entre os moradores da área, das hostilidades entre fazendeiros ingleses e holandeses e das brigas entre as gangues de jovens descendentes de hispânicos e italianos, durante o pós-guerra. Não deixa, porém, de registrar as soluções de convivência encontradas entre os diversos grupos. A obra, que revela de forma brilhante toda a genialidade de Eisner, serviu como base para uma peça recentemente apresentada no teatro do SESC, em São Paulo, com tremendo sucesso.

Em 1988 criou, por meio de sua fundação, um prêmio que é concedido anualmente às mais inovadoras e brilhantes histórias em quadrinhos, o Prêmio Will Eisner, considerado um dos mais prestigiados prêmios nesta área nos EUA.

O preconceito dos quais foram vítima os judeus permeiam as últimas graphic novels de Eisner. O cartunista afirmava "não digerir nada bem o retrato que Charles Dickens fizera de seu povo no romance Oliver Twist, em que um dos principais vilões, o menino Fagin, é judeu. A resposta do cartunista a Dickens é o livro Fagin, the Jew, cuja versão em português foi publicada pela Companhia das Letras. Nesta graphic novel Eisner "incita" o escritor inglês a reescrever o papel de Fagin.

Os famigerados Protocolos dos Sábios do Sião é o tema central de The Plot (O argumento), obra que Eisner finalizou e publicou antes de falecer, em janeiro de 2005, aos 87 anos de idade. Seu intuito era refutar o mito exposto no livro. "Era um documento fraudulento, viciado e maligno", afirmava o autor, que decidiu criar a obra após ter-se deparado com uma versão dos Protocolos na internet.