Morashá
A indústria cinematográfica e a Shoá Foto Ilustrativa

A indústria cinematográfica e a Shoá

O Instituto Morashá de Cultura promoveu em 15 de agosto último a exibição do premiado documentário dirigido por Daniel Anker: Testemunha Imaginária, Hollywood e o Holocausto.

Edição 50 - Setembro de 2005


O Instituto Morashá de Cultura promoveu em 15 de agosto último a exibição do premiado documentário dirigido por Daniel Anker: "Testemunha Imaginária, Hollywood e o Holocausto".

A obra aborda as diversas formas como Hollywood - que durante a 2ª Guerra Mundial, a princípio, relutou em condenar abertamente o nazismo e o anti-semitismo - tratou os horrores cometidos por Hitler e a Shoá. Somente anos após o término da guerra, os diretores da indústria cinematográfica americana passaram a retratar de forma realista a chamada "Solução Final" e suas trágicas conseqüências.

Através de cenas de diversos filmes, "Testemunha Imaginária" examina a reação dos diretores de Hollywood face à terrível perseguição nazista aos judeus antes, durante e após a guerra. O documentário, exibido no salão da Sinagoga Beit Yaacov, inclui uma gama variada de filmes, como "Confessions of a Nazi Spy" ("Confissões de um Espião Nazista") e "The Mortal Storm" ("Tempestade Mortal"), ambos produzidos antes de os Estados Unidos entrarem no conflito. Sua abordagem pode ser considerada realista para a época, em que as produções eram bastante ambíguas. Há flashes dos filmes da década de 50 - quando o Holocausto passou a ser retratado de uma forma mais realista - e até de trabalhos mais recentes, como "A Lista de Schindler" e "O Pianista".